Plataforma online para apoio à tomada de decisão e planejamento de segurança para mulheres vivendo com violência doméstica no Brasil: bases teórico-metodológicas e resultados preliminares

Vera Lucia Costa da Silva, Sandra Marques Prado, Marcos Claudio Signorelli

Resumo


Esta pesquisa é inspirada em projetos similares desenvolvidos e testados internacionalmente, cujos resultados demonstraram que mulheres em situação de violência por parceiro íntimo (VPI) sentiram-se apoiadas em suas decisões e menos conflitos decisórios sobre sua segurança na relação afetivo-conjugal após o uso de plataformas de apoio online. Com base nas experiências internacionais objetivamos descrever as bases teórico-metodológicas e analisar preliminarmente a viabilidade de uma plataforma online de apoio às mulheres em situação de VPI adaptada ao contexto brasileiro. O estudo vem sendo desenvolvido desde janeiro/2018 junto à Casa da Mulher Brasileira de Curitiba (CMBC), por meio de abordagem qualitativa de pesquisa baseada em pressupostos da pesquisa ação-participativa, observação participante e entrevistas semiestruturadas com profissionais e usuárias da CMBC. Os resultados preliminares evidenciaram que a maioria das participantes consideram viável a proposta, destacando desafios e potencialidades: 1) agilidade, segurança e anonimidade oferecida por ferramentas online, evitando a exposição das usuárias; 2) a utilização de um recurso online como primeiro passo em direção às denúncias formais, auxiliando a conexão com a rede de serviços; 3) o reconhecimento de situações de abuso que podem ser fomentadas por meio da disseminação de informações sobre violência e também de políticas públicas preventivas; 4) a necessidade de ponderar a respeito da segurança das usuárias da possível plataforma, pois poderia ser flagrada pelo agressor utilizando, o que poderia gerar mais violência. Os resultados preliminares vêm auxiliando no delineamento de uma versão brasileira para a plataforma, culturalmente apropriada e que atenda as características das mulheres brasileiras.


Texto completo:

PDF

Referências


ACOSTA, D. F.; GOMES, V. L. O.; FONSECA, A. D.; GOMES, G. C. Violência contra a mulher por parceiro íntimo: (in) visibilidade do problema. Texto Contexto Enferm., Florianópolis, v. 24, n. 1, jan./mar., p. 121-127, 2015.

AUAD, D. Feminismo: que história é essa? Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1995.

BEAUVOIR, S. O segundo sexo. Fatos e mitos. 4. ed. São Paulo: Difusão Européia do livro, 1949.

BRASIL. Lei Federal nº 11. 340, de 07 de agosto de 2006. Dispõe sobre a Lei Maria da Penha e dá outras providências. Brasília: Ministério da Justiça, 2006. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.htm. Acesso em: 15 set. 2019.

CLEMENTE, A. J; MARTINZ; I. N; HOFFMANN-HOROCHOVSKI, M.T. Políticas públicas, cultura e dinâmicas sociais na fronteira Brasil e Argentina. Jaguarão, RS: Claec, 2018.

DUTTON, M. A. Empowering and healing the battered woman: a model assessment and intervention. New York: Springer, 1992.

EDEN, K. B. et al. Use of online safety decision aid by abused women: effect on decisional conflict in a randomized controlled trial. Am J Prev Med, v. 48, n. 4, p. 372-83, apr., 2015. ISSN 1873-2607. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25547929. Acesso em: 01 set. 2019.

FORD-GILBOE, M. et al. A tailored online safety and health intervention for women experiencing intimate partner violence: the iCAN Plan 4 Safety randomized controlled trial protocol. BMC Public Health, 2017.

HEGARTY, K. et al. I-Decide: an online intervention drawing on the psychosocial readines model for women experiencing domestic violence. Women’s Health Issues, 2016.

HEGARTY, K. et al. An online healthy relationship tool and safety decision aid for women experiencing intimate partner violence (I-DECIDE): a randomised controlled tria. Lancet Public Health, 2019.

HEGARTY, K. et al. Protocol for a randomised controlled trial of a web-based healthy relationship tool and safety decision aid for women experiencing domestic violence (I-DECIDE). BMC Public Health, v. 15, p. 736, aug. 2015. ISSN 1471-2458. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26231225. Acesso em: 15 ago. 2019.

INSTITUTO DE PESQUISA APLICADA (IPEA). FÓRUM BARSILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA. Atlas da violência 2018. Apresenta indicadores para melhor compreender o processo de acentuada violência no país. Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=33410&Itemid=432. Acesso em: 16 set. 2019.

INSTITUTO DE PESQUISA APLICADA (IPEA). FÓRUM BARSILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA. Atlas da violência 2018. Apresenta o retrato da violência nos municípios brasileiros. Brasília, 2019. Disponível em: http://www.forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2019/06/Atlas-da-Violencia-2019_05jun_vers%C3%A3o-coletiva.pdf.

Acesso em: 16 set. 2019.

JAFFE, P. G.; BAKER, L. L. et al. (Ed.). Protecting children from domestic violence: strategies for community intervention. New York: Guilford Press, 2004. p. 89-100.

KOZIOL-MCLAIN, J. et al. Participant recruitment and engagement in automated ehealth trial registration: challenges and opportunities for recruiting women who experience violence. J. Med. Internet Res., v. 18, n. 10, p. e281, oct. 2016. ISSN 1438-8871. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27780796. Acesso em: 18 jul. 2019.

KOZIOL-MCLAIN, J. et al. A web-based intervention for abused women: the New Zealand isafe randomised controlled trial protocol. BMC Public Health, v. 15, p. 56, jna. 2015. ISSN 1471-2458. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25637195.

KRUG, E. G.; DAHLBERG, L. L; MERCY, J. A.; ZWI, A. B.; LOZANO, R. Relatório mundial sobre violência e saúde. Genebra: Organização Mundial da Saúde, 2002.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2002.

PEDRO, J. M. Traduzindo o debate: o uso da categoria gênero na pesquisa histórica. História, São Paulo, v. 24, n. 1, p. 77-98, 2005.

SIGNORELLI, M. C; MELO, T. R. Diversidade, inclusão e saúde: perspectivas interdisciplinares de ação. Rio de Janeiro: Autografia, 2015.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 443-466, set./dez. 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/guaju.v5i2.70501

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Licença Creative Commons

Guaju, Revista Brasileira de Desenvolvimento terrritorial sustentável está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Indexadores e bases de dados:

       Imagem relacionada

     

Guaju – Revista Brasileira de Desenvolvimento Territorial Sustentável

Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Territorial Sustentável (PPGDTS/UFPR)

Matinhos – Paraná

revistaguaju@gmail.com   ISSN 2447-4096