A influência de instrumentos de políticas públicas para a conservação – uma ótica sobre o pagamento dos serviços ambientais

Mayara Bormann Azzulin, Nicole Centurion, Niklas Werner Weins, Tatiana M Cecy Gadda, Carlos Mello Garcias

Resumo


Os serviços ecossistêmicos são essenciais para a sobrevivência do ser humano. No entanto, devido ao processo de urbanização, a população perde a sensibilidade para com os recursos ambientais, trazendo como consequências impactos que podem se tornar irreversíveis. Ao tomar consciência da magnitude que esses impactos podem alcançar, o ser humano se vê na necessidade de alterar o entendimento acerca das cidades, desenvolvendo meios para o desenvolvimento sustentável. Atualmente, diversos instrumentos de gestão são utilizados para a conservação dos recursos ambientais, sendo um deles o pagamento por serviço ambiental (PSA). Assim, o objetivo deste trabalho foi levantar e compreender as contribuições do PSA para a configuração do território. A metodologia apresentou natureza exploratória, dividida nas etapas de busca bibliométrica e a análise dos artigos selecionados. Percebendo que se trata de um instrumento estratégico por envolver os três atores principais dentro da governança urbana (gestor público, população e o recurso natural),          notou-se que existe uma hibridização na tipologia de instrumento de política ambiental, além de romper as barreiras entre o rural e urbano. Assim, o PSA passa a fortalecer as relações entre cidadãos e os serviços ecossistêmicos, sendo uma excelente resposta para as demandas das agendas globais atuais.


Texto completo:

PDF

Referências


ARRIAGADA, R. A.; SILLS, E. O.; FERRARO, P. J.; PATTANAYAK, S. K. Do payments pay off? Evidence from participation in Costa Rica’s PES Program. PloS one, v. 10, n. 8, p. e0136809, 2015.

CASTRO-DÍAZ, R. Implicancias territoriales de los esquemas de pago por servicios ambientales (PSA) en cuencas norandinas. Cuadernos de Geografía-Revista Colombiana de Geografía, Bogotá, v. 23, n. 1, p. 61-74, 2014.

CIDREIRA, L. E. Pagamentos por serviços ambientais como instrumento para a gestão das águas em ambientes urbanos. 2016. 134f. Dissertação de Mestrado (Programa de Pós-Graduação em Gestão Urbana) – Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, 2016.

CUMMING, G. S.; BUERKERT, A.; HOFFMANN, E. M.; SCHLECHT, E.; VON CRAMON-TAUBADEL, S.; TSCHARNTKE, T. Implications of agricultural transitions and urbanization for ecosystem services. Nature, v. 515, p. 50-57, 2014.

DA SILVA, R. F. B.; RODRIGUES, M. D. A.; VIEIRA, S. A.; BATISTELLA, M.; FARINACI, J. Perspectives for environmental conservation and ecosystem services on coupled rural–urban systems. Perspectives in Ecology and Conservation, v. 15, n. 2, p. 74-81, 2017.

DAVIES, H. J.; DOICK, K. J.; HUDSON, M. D.; SCHAAFSMA, M.; SCHRECKENBERG, K.; VALATIN, G. Business attitudes towards funding ecosystem services provided by urban forests. Ecosystem services, v. 32, p. 159-169, 2018.

FASIABEN, M. do C. R.; ANDRADE, D. C.; REYDON, B. P.; GARCIA, J. R.; ROMEIRO, A. R. Estimativa de aporte de recursos para um sistema de pagamento por serviços ambientais na Floresta Amazônica Brasileira. Ambiente & Sociedade, v. 12, n. 2, p. 223-239, 2009.

FERNANDES, V.; PHILIPPI JR, A. Sustainability Sciences. The Oxford Handbook of Interdisciplinarity, p. 370, 2017

FERNANDES, L. S.; BOTELHO, R. G. M. Proposta Metodológica de Priorização de Municípios para Implantação de Programas de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA). Ambiente & Sociedade, São Paulo, v. 19, n. 4, p. 101-120, 2016.

FGB – Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza; TNC – The Nature Conservancy do Brasil; MMA – Ministério do Meio Ambiente; GIZ – Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit. Guia para a formulação de políticas públicas estaduais e municipais de pagamentos por serviços ambientais. 2017. 77p. Disponível em: .

FIGUEROA, F.; CARO-BORRERO, A.; REVOLLO-FERNÁNDEZ, D.; MERINO, L.; ALMEIDA-LEÑERO, L.; PARÉ, L.; ESPINOSA, D.; MAZARI-HIRIART, M. “I like to conserve the forest, but I also like the cash”. Socioeconomic factors influencing the motivation to be engaged in the Mexican Payment for Environmental Services Programme. Journal of Forest Economics, v. 22, p. 36-51, 2016.

FREY, K. Abordagens de governança em áreas metropolitanas da América Latina: avanços e entraves. Urbe – Revista Brasileira de Gestão Urbana, v. 4, n. 1, p. 87-102, 2012.

GUPTA, J.; PFEFFER, K.; ROS-TONEN, M.; VERREST, H. Setting the scene: The geographies of urban governance. In: Geographies of Urban Governance. Springer, Cham, 2015. p. 3-25

GÜNERALP, B.; SETO, K. C. Futures of global urban expansion: uncertainties and implications for biodiversity conservation. Environmental Research Letters, v. 8, n. 1, p. 014025, 2013.

JARDIM, M. H.; BURSZTYN, M. A. Pagamento por serviços ambientais na gestão de recursos hídricos: o caso de Extrema (MG). Engenharia Sanitária Ambiental, v. 20, n. 3, p. 353-360, 2015.

KFOURI, A.; FAVERO, F. Projeto conservador das águas passo a passo: uma descrição didática sobre o desenvolvimento da primeira experiência de pagamento por uma prefeitura municipal no Brasil. Brasília, DF: The Nature Conservancy do Brasil, 2011.

Khan, M. H. (2013). Governance and development: The perspective of growth-enhancing governance. Eastern and Western Ideas for African Growth: Diversity and Complementarity in Development Aid, p. 85-120.

LIBANIO, P. A. C. O uso de estratégias focadas em resultados para o controle da poluição hídrica no Brasil. Engenharia Sanitária Ambiental, v. 21, n. 4, p. 731-738, 2016.

MACE, G. M. Whose conservation?. Science, v. 345, n. 6204, p. 1558-1560, 2014.

MEDAUAR, O.; ALMEIDA, F. D. M. de. Estatuto da Cidade: Lei 10.257, de 10/07/2001, comentários. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2002.

MOMBO, F.; LUSAMBO, L.; SPEELMAN, S.; BUYSSE, J.; MUNISHI, P.; HUYLENBROECK, G. Scope for introducing payments for ecosystem services as a strategy to reduce deforestation in the Kilombero wetlands catchment area. Forest Policy and Economics, v. 38, p. 81-89, 2014.

MORAES, J. L. A. Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) como Instrumento de Política de Desenvolvimento Sustentável dos Territórios Rurais: o Projeto Protetor Das Águas de Vera Cruz, RS. Sustentabilidade em Debate, v. 3, n. 1, p. 43-56, 2012.

MOURA, A. M. M. de. (Org.). Governança ambiental no Brasil: instituições, atores e políticas públicas. Brasília, DF: IPEA, 2016.

NARVAEZ R, Y. A.; PAZ A, W. J.; GUAPUCAL C, M. del R.; LEONEL, H. F. Procesos institucionales en el pago por servicios ambientales, cuenca alta del río Pasto. Revista de Ciências Agrícolas, San Juan de Pasto, v. 33, n. 1, p. 64-72, 2016.

NIERATKAA, L. R.; BRAY, D. B.; MOZUMDER, P. Can payments for environmental services strengthen social capital, encourage distributional equity, and reduce poverty?. Conservation and Society, v. 13, n. 4, p. 345-355, 2015.

OUVERNEY, I. R.; MOTTA, R. S. da; ORTIZ, R. A.; COELHO, P. S. Condicionantes da disposição de participar e aceitar pagamentos por serviços ambientais: um estudo de caso no Brasil. Revista de Economia Contemporânea, v. 21, n. 3, P. 1-27, 2017.

PACKER, A. L. Os periódicos brasileiros e a comunicação da pesquisa nacional. Revista USP, São Paulo, n.89, p. 26-61, 2011.

PROCOPIUCK, M. Políticas públicas e fundamentos da administração pública: análise e avaliação, governança e redes de políticas, administração judiciária. São Paulo: Atlas, 2013.

RECH, A. U.; ALTMANN, A. Pagamento por serviços ambientais: imperativos jurídicos e ecológicos para preservação e a restauração das martas ciliares. Caxias do Sul, RS: EDUCS, 2009.

REDFIELD, R. Peasant society and culture: an anthropological approach to civilization. Chicago: University of Chicago Press, 1956.

ROSA, F. S.; TONELLO, K. C.; LOURENÇO, R. W. Eleição de áreas prioritárias para pagamento por serviços ambientais: uma análise em nível de microbacia. Ambiente & Água – An Interdisciplinary Journal of Applied Science, Taubaté, v. 11, n. 2, p. 448-461, 2016.

TORRES, A. B.; MACMILLAN, D. C.; SKUTSCH, M.; LOVETT, J. C. Payments for ecosystem services and rural development: Landowners' preferences and potential participation in western Mexico. Ecosystem Services, v. 6, p. 72-81, 2013.

WUNDER, S.; BÖRNER, J.; TITO, M. R.; PEREIRA, L. Pagamentos por serviços ambientais: perspectivas para a Amazônia Legal. 2. ed. Brasília, DF: MMA, 2009

WUNDER, S. Revisiting the concept of payments for environmental services. Ecological Economics, v. 117, p. 234-243, 2015.

WEST, Geoffrey B. Scale: the universal laws of growth, innovation, sustainability, and the pace of life in organisms, cities, economies, and companies. Penguin, 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/guaju.v5i2.70437

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Licença Creative Commons

Guaju, Revista Brasileira de Desenvolvimento terrritorial sustentável está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Indexadores e bases de dados:

       Imagem relacionada

     

Guaju – Revista Brasileira de Desenvolvimento Territorial Sustentável

Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Territorial Sustentável (PPGDTS/UFPR)

Matinhos – Paraná

revistaguaju@gmail.com   ISSN 2447-4096