À margem da história e da sociedade: a construção da cidadania e situação social dos afrodescendentes após a abolição da escravidão no Brasil

Araly Cristina de Oliveira, Hamilton Afonso de Oliveira

Resumo


Utilizando-se de pesquisas bibliográficas e informações de documentos censitários, o presente artigo pretende fazer uma reflexão crítica de como se deu o processo de construção da cidadania e sua correlação com a formação do Estado liberal de direito e como estas ideias foram sendo assimiladas pelas elites brasileiras e sua adaptação à realidade brasileira marcada pela concentração da terra, riqueza e escravidão. Apontar que a abolição da escravidão (em 1888) e o advento do Estado republicano (em 1889) não garantiram a igualdade de direitos civis entre os diferentes grupos socioeconômicos existentes no Brasil, sobretudo para a população afrodescendente, que mesmo após a abolição continuou a viver à margem da História e da sociedade sem a garantia de direitos básicos essenciais como: acesso a empregos dignos, à propriedade, moradia e a uma educação escolar que promovesse a autonomia e conquista da liberdade e cidadania plena.


Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO. C. M. M. de. Onda negra, medo branco: o negro no imaginário das elites do século XIX. 6ª ed. Ed. Paz e Terra: Rio de Janeiro, 1987.

BETHELL, L.. A Abolição do Comércio Brasileiro de Escravos a Grã-Bretanha, o Brasil e a Questão do Comércio de Escravos, 1807 – 1869. Coleção Biblioteca Básica Brasileira. Tradução de Luís A. P. Souto Mai or. - Brasília: Senado Federal, Conselho Editorial, 2002.

BOBBIO N.. Estado, governo, sociedade: por uma teoria geral da política. Rio de Janeiro. Ed. Paz e Terra: Rio de Janeiro, 1987.

CARVALHO, J. M. de. Cidadania: tipos e percursos. In. Estudos Históricos. N.º18/1996. Disponível no site: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/viewFile/2029/1168. Acesso em 12/12/2015.

CHALHOUB, S. Visões de liberdade: uma história da escravidão nas últimas décadas na Corte. São Paulo: Cia. das Letras, 2011.

CONRAD, R. Os últimos anos da escravatura no Brasil. Ed. Rio de Janeiro: Ed. Civilização Brasileira, 1975.

COSTA, E. V. Coroas de Glória, Lágrimas de Sangue – a rebelião dos escravos de demerara em 1825. São Paulo: Ed. Cia. das Letras, 1998.

DOMINGUES, P. Cidadania Por Um Fio: o associativismo negro no Rio de Janeiro (1888-1930). In. Revista Brasileira de História. Vol.34 N.º67 São Paulo, Jan./June2014. Disponível http://dx.doi.org/10.1590/S0102- 01882014000100012 - acessado em 17/08/2015.

DOMINGUES, P. Um “templo de luz”: Frente Negra Brasileira (1931-1937) e a questão da educação. In. Revista Brasileira de Educação. v. 13 n. 39 set./dez. 2008. p. 522. Disponível no site: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v13n39/08.pdf. Acesso em 08/02/2017.

HOBSBAWM, E. A Era do Capital: 1848-1875. 3.ª Edição - Ed. Paz e Terra: Rio de Janeiro, 1982.

IANNI, O. As metamorfoses do escravo. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1962.

JANCSÓ, I.; PIMENTA, J. P. G. Peças De Um Mosaico (apontamentos para o estudo da emergência da identidade brasileira). In: MOTA, Carlos G. (Org.) Viagem Incompleta: a experiência brasileira (1500-2000). Formação: histórias. 2.ª Ed. São Paulo: Editora do SENAC, 2000.

KLEIN, H. S. A Experiência Afro-Americana Numa Perspectiva Comparativa: a situação atual do debate sobre a escravidão nas Américas. In. Afro-Ásia, 45 Salvador. BA. 2012. Disponível em: http://www.afroasia.ufba.br/edicao.php. Acesso em 12/12/2016.

KONDER L. Ideias Que Romperam Fronteiras In. PINSKY, Jaime; BASSANEZI, Carla (org). História da Cidadania. 6.ª Ed. Ed. Contexto: São Paulo, 2013.

MAXWELL, K. Por Que O Brasil Foi Diferente? O Contexto Da Independência. In. MOTA, Carlos Guilherme (org). Viagem Incompleta – A experiência brasileira. Vol. I, 2.a Ed. São Paulo: Editora do SENAC/SP, 2000.

MENDONÇA. J. M. N. Memórias da escravidão dos embates políticos do pós-abolição. IN. ABREU, M; DANTAS, C. V.; MATTOS, H. Histórias do Pós- Abolição No Mundo Atlântico: identidades e projetos políticos. Vol., Niterói-RJ: Editora da UFF, 2014. 13MB, PDF.

NABUCO, J. O abolicionismo. Brasília: Senado Federal, Conselho Editorial, 2003.

ODALIA, N. A liberdade Como Meta Coletiva. In. PINSKY, Jaime; BASSANEZI, Carla (org). História Da Cidadania. 6ª Ed. Editora Contexto: São Paulo, 2013.

REIS, J. J. Quilombos e revoltas escravas no Brasil: nós achamos em campo a tratar da liberdade. In. Revista USP, São Paulo (28): 14-39, Dezembro/Fevereiro 95/96. Disponível no site: http://www.usp.br/revistausp/28/02-jreis.pdf Acesso em 28/01/2014.

SILVA, K. V.; SILVA, M. H. Dicionário de conceitos históricos. 2.ª Ed. São Paulo: Ed. Contexto, 2009.

SCHWARCZ, L. M. Nem preto nem branco, muito pelo contrário: cor e raça na sociabilidade brasileira. — 1ª- ed. — São Paulo: Claro Enigma, 2012.

WISSENVACH; M. C. C. Da escravidão à liberdade: dimensões de uma privacidade possível. In. SEVCENKO, Nicolau (Org.) História da Vida Privada no Brasil – República: da Belle Époque à Era do Rádio. Vol. III. São Paulo: Cia. das Letras, 1998.

OUTRAS FONTES CONSULTADAS

BRASIL, Lei de Terras de 1850. Disponível no site: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L0601-1850.htm. Acesso em 24/03/2019.

RECENSEAMENTO GERAL DO BRASIL - VOL. I - 1920 - Introdução, disponível no site:https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/monografias/GEBIS%20-%20RJ/Censode1920/RecenGeraldoBrasil1920_v1_Introduccao.pdf - Acesso em 22/03/2019.

RECENSEAMENTO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO - 1906 disponível no site: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv49678.pdf - Acesso em 03/03/2019.

IBGE - DOCUMENTOS CENSITÁRIOS, Série C, n.º 9, 1953, p. 18. Disponível no site: https://biblioteca.ibge.gov.br/biblioteca-catalogo.html?id=212362&view=detalhes – Acesso em 23/03/2019.

RECENSEAMENTO GERAL DO BRASIL – População e Habitação, Vol. 2, 1940 – Disponível no site: http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/65/cd_1940_v2_br.pdf - acesso em 25/06/2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/guaju.v5i1.65608

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Licença Creative Commons

Guaju, Revista Brasileira de Desenvolvimento terrritorial sustentável está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Indexadores e bases de dados:

       Imagem relacionada

     

Guaju – Revista Brasileira de Desenvolvimento Territorial Sustentável

Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Territorial Sustentável (PPGDTS/UFPR)

Matinhos – Paraná

revistaguaju@gmail.com   ISSN 2447-4096