REDUÇÃO DE EMISSÕES DE CO2 PELA PRODUÇÃO DE BIOCOMBUSTÍVEIS A PARTIR DE ÓLEO DE DENDÊ NA AMAZÔNIA BRASILEIRA

Henrique Luis Godinho Cassol, Lara Clímaco de Melo, Fernanda da Silva Mendes, Rogério Fonseca, Carlos Roberto Sanquetta

Resumo


O estudo pretende estimar a redução de CO2 proporcionada pela produção de biocombustíveis a partir do óleo de dendê nas áreas aptas ao cultivo, segundo o ZAE-Dendê da Amazônia Brasileira. Essas estimativas, ainda escassas na literatura, são parte das diretrizes governamentais frente às mudanças climáticas. Tais diretrizes envolvem a mensuração de dois reservatórios de carbono potenciais: i) a fixação de CO2 atmosférico proveniente do acúmulo na biomassa nos plantios; e ii) a redução de emissões de CO2 oriundas da substituição de combustíveis fósseis por biocombustíveis (menos poluentes), gerados a partir de óleo de dendê. Os resultados demonstram que, ao longo do período de cultivo, 151,85 Mg.CO2eq.ha-1 podem ser estocados na biomassa acima do solo. Em um cenário de aproveitamento potencial para a produção de óleo de palma de 35 milhões de hectares de áreas desmatadas da Amazônia brasileira, 5,3 bilhões Mg.CO2eq poderiam ser absorvidas com o plantio. Entretanto, aproximadamente 90% do CO2 absorvido retorna à atmosfera durante o processo de produção, devido à baixa tecnologia aplicada, tornando imprescindível o reaproveitamento dos resíduos da produção para aumentar a eficiência da redução de CO2.


Palavras-chave


Mudanças climáticas; Estoque de carbono; Palmeiras; Alometria.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rf.v46i1.41516

Revista FLORESTA
ISSN Eletrônico 1982-4688
fone: 41 3360 4219
revista.floresta@gmail.com

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 Internacional (CC BY 4.0)