O ESTADO DA ARTE NA ESTIMATIVA DE BIOMASSA E CARBONO EM FORMAÇÕES FLORESTAIS

Péricles Silveira, Henrique Soares Koehler, Carlos Roberto Sanquetta, Julio Eduardo Arce

Resumo


O presente trabalho tem por objetivo fornecer uma visão geral do estado da arte na obtenção de estimativa de biomassa e estoque de carbono em formações florestais. Inicialmente realizou-se uma abordagem sobre o aumento da concentração de CO2 na atmosfera e a mudança ambiental global. Sobre biomassa florestal e seqüestro de carbono, foi apresentada a metodologia citada na literatura para a sua determinação e estimativa, sendo realizado um apanhado geral dos métodos diretos e indiretos e as controvérsias existentes entre eles. Seqüencialmente, fez-se uma abordagem sobre as variáveis e os modelos utilizados em estimativas de biomassa e estoque de carbono em formações florestais, como também foram relacionados alguns dos modelos mais utilizados. Realizou-se ainda um estudo comparativo entre os modelos lineares e não-lineares com relação às suas vantagens e desvantagens para estimar biomassa. Para finalizar, foram citadas as principais estatísticas utilizadas por alguns autores na comparação de modelos visando o melhor ajuste.

Palavras-chave


Métodos de estimativa de biomassa; equações alométricas de biomassa; seqüestro de carbono.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rf.v38i1.11038

Revista FLORESTA
ISSN Eletrônico 1982-4688
fone: 41 3360 4219
revista.floresta@gmail.com

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 Internacional (CC BY 4.0)