VIOLÊNCIA CONJUGAL E PRÁTICA ASSISTENCIAL POR NÍVEIS DE ATENÇÃO À SAÚDE: DISCURSO DE ENFERMEIRAS

Anderson Reis de Sousa, Fernanda Matheus Estrela, Andrey Ferreira da Silva, Júlia Renata Fernandes de Magalhães, Milena Arão da Silva Oliveira, Adriana Karlla Neves da Silva Loureiro, Valquíria Rodrigues Gomes

Resumo


Objetivo: descrever a prática assistencial da enfermeira frente aos casos de violência conjugal nos três níveis de atenção à saúde.
Método: estudo qualitativo realizado com 47 enfermeiras atuantes em uma grande cidade do Nordeste brasileiro. Os dados foram coletados entre setembro e novembro de 2018, sistematizados através do software NVIVO11®, e analisados por meio do Discurso do Sujeito Coletivo.
Resultados: a pesquisa despontou que, na identificação dos casos de violência, há necessidade de investigação do cotidiano conjugal e estabelecimento de vínculo com a usuária. No que tange aos encaminhamentos, é necessária articulação com outros profissionais.
Considerações finais: a pesquisa oferece subsídios para nortear o cuidado às mulheres em situação de violência conjugal nos três níveis de atenção.



Palavras-chave


Violência Doméstica; Níveis de Atenção à Saúde; Enfermagem; Saúde Pública; Saúde da Mulher.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v26i0.74083 ';



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico 2176-9133 / ISSN Impresso 1414-8536