A CRÍTICA DE EMILY BRONTË EM O MORRO DOS VENTOS UIVANTES

Eduardo Gern Scoz

Resumo


Este artigo é resultado de um trabalho escrito para a disciplina de História Contemporânea I e Teoria da História III, na Universidade Federal do Paraná (UFPR). Para a realização desse trabalho, cada aluno escolhia uma obra literária do século XIX para relacionar com os textos abordados nas duas disciplinas. Dessa forma, após ter escolhido o romance de Emily Brontë, O Morro dos Ventos Uivantes, e reunido bibliografias complementares às das matérias mencionadas, pode-se ter uma análise interessante no tocante as áreas de gênero e crítica pós-colonial. Assim, o presente artigo reúne essas discussões de forma a entender que Brontë, sendo mulher em plena Revolução Industrial e colonialismo britânico, teceu importantes críticas a sua conjuntura e as formas de opressão que estavam presentes nesse contexto.

Palavras-chave


Literatura, Gênero, Pós-colonialismo, Inglaterra.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/clio.v9i1.68609

Apontamentos

  • Não há apontamentos.