A GUERRA DO PARAGUAI EM DIFERENTES INTERPRETAÇÕES

Gabriel Ignácio Garcia

Resumo


Na primeira metade do século XX as abordagens mais tradicionais acerca da Guerra do Paraguai obtiveram grande destaque e, por meio de uma análise personalista, viam o governante paraguaio Solano López como sendo responsável e causador da guerra e com certo patriotismo defendiam a ação brasileira na disputa. A partir da década de 1960, com a corrente revisionista, León Pomer (1984) e Júlio José Chiavenatto (1984) propunham a influência do imperialismo britânico como fator determinante para a deflagração de guerra e destruição do Paraguai. Mais recentemente na década de 90, uma nova linha de pesquisadores, entre eles Francisco Doratioto (2002), propunha guerra como fruto das contradições platinas e da consolidação dos Estados Nacionais na região. Posto isso, o presente artigo objetiva analisar e compreender as interpretações produzidas por essas distintas correntes historiográficas, atentando para as suas diferenças e especificidades.

Palavras-chave


Guerra do Paraguai; Historiografia; Abordagens teóricas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/clio.v5i1.40213

Apontamentos

  • Não há apontamentos.