Open Journal Systems

ANÁLISE DA PARCELA COMO UNIDADE TERRITORIAL DO CADASTRO URBANO BRASILEIRO

JUCIELA CRISTINA DOS SANTOS, EDLA SIQUEIRA DE FARIAS, ANDREA FLÁVIA TENÓRIO CARNEIRO

Abstract


Um dos princípios básicos do cadastro multifinalitário é a padronização da sua
unidade territorial, uma vez que o compartilhamento de informações exige a adoção
de uma unidade cadastral única. Situações de ordem prática, observadas em áreas
rurais e urbanas, geram dúvidas quanto à aplicabilidade, no Brasil, do conceito de
parcela como a menor unidade do cadastro e como uma porção do território com
condições homogêneas de domínio. A partir destas observações, este artigo teve
como objetivo avaliar a adoção do conceito de parcela, com base em sistemas
internacionais e em casos práticos do cadastro brasileiro, utilizando como estudo de
caso o cadastro de Arapiraca-AL. Os resultados indicaram que a consideração da
parcela como uma porção do solo possuída por uma pessoa ou por várias pro
indiviso é adequada e compatível com o conceito de condição homogênea de
domínio. A pesquisa confirma ainda a viabilidade da adoção da parcela como
menor unidade do cadastro, não admitindo, assim, a existência de subparcelas, mas
objetos territoriais associados a estas parcelas, como orienta o documento Cadastro
2014.

Keywords


Geodésia