Monitoramento mensal da linha de costa no Balneário Mostardense - RS entre 2016/2017 utilizando dados de VANT

Rodrigo Silva Simões, Ulisses Rocha de Oliveira

Resumo


Neste estudo foi realizado um monitoramento mensal, entre junho de 2016 e junho de 2017, da linha de costa e das dunas frontais no balneário Mostardense. Este segmento de costa situa-se no litoral central do Estado do Rio Grande do Sul, localidade que segundo trabalhos anteriores, sofre com a alta mobilidade eólica e com os efeitos do processo de erosão costeira. Este processo move a linha de costa em direção ao continente, sobretudo sob a ação de tempestades, ameaçando as ocupações mais próximas do limite praia-duna. Para a realização deste trabalho foram utilizadas um total de 258 fotografias aéreas obtidas em campo mensalmente a partir de um VANT (DJI® Phantom 3 Professional) para construção de ortofotomosaicos. Adicionalmente foram coletadas fotografias oblíquas (200), além de dados derivados de dois ondógrafos e de uma estação meteorológica, buscando compreender melhor as taxas de mobilidade da linha de costa, fruto da erosão e recomposição das dunas frontais. Os cálculos de variação de linha de costa foram realizados a partir do método do polígono de mudança. Os resultados demonstram a dinâmica da linha de costa, com destaque para um recuo significativo quando da passagem de um evento extremo de ondas do quadrante S ocorrido em outubro de 2016, onde houve recuo médio de linha de costa de 13,8 m entre outubro e novembro do mesmo ano. Também foram identificados períodos de recomposição das dunas frontais por ação eólica, sob o domínio de ventos de NE. Porém, durante o monitoramento realizado, não houveram taxas significativas de recomposição se comparadas com as de recuo. Os resultados obtidos também apontam para as potencialidades da utilização da ferramenta VANT em estudos de morfodinâmica costeira, podendo ser utilizado tanto para análises qualitativas (fotografias oblíquas) como para análises quantitativas (fotografias verticais).

Palavras-chave


Limite praia duna; erosão costeira; VANT (drone); método do polígono de mudança: dunas frontais

Texto completo:

PDF

Referências


Absalonsen L., Toldo Jr. E. 2007. A Influência da Inflexão Costeira na Variabilidade da Linha de Praia em Mostardas – RS. Porto Alegre: Revista Pesquisas em Geociências. 34:3-18.

Albuquerque M.G. 2013. Análise espaço-temporal das causas da variabilidade da linha de costa e erosão na praia do Hermenegildo – RS. Tese de doutorado, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre – RS. 127 p.

Albuquerque M.G., Espinoza J.M.A., Oliveira A., Corrêa I., Calliari L.J. 2013. Erosion or Coastal Variability: an evaluation of the DSAS and the Change Polygon methods for the determination of erosive processes on sandy beaches. Florida: Journal of Coastal Research. Special Issue 65:1710-1714.

Albuquerque M. G., Espinoza J. M. A., Alves D.C.L., Oliveira U.R., Simões R.S. 2018. Determining Shoreline Response to Meteo-oceanographic Events Using Remote Sensing and Unmanned Aerial Vehicle (UAV): Case Study in Southern Brazil. Journal of Coastal Research, SI 85: 766-770.

Almeida L.E.S.B., Rosauro N.M.L., Toldo Jr. E.E. 1997. Análise Preliminar das Marés na Barra do Rio Tramandaí. 12º Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, Vitoria: p. 560 - 566.

Barletta R.C. 2000. Efeito da interação oceano-atmosfera sobre a morfodinâmica das praias do litoral central do Rio Grande do Rio Grande do Sul, Brasil. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Oceanografia Física, Química e Geológica. Universidade Federal Rio Grande, Rio Grande, 134p.

Barletta R.C. 2006. Teste e aplicação de modelos parabólicos de refração-difração com ênfase na propagação de ondas sobre parcéis. Tese de doutorado, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis – SC, 155 p.

Bird E. 2008. Coastal Geomorphology – An Introduction. England: Wiley, 436 pg.

Calliari L.R., Muehe D., Hoefel F.G., Toldo Jr. E. 2003. Morfodinâmica praial: uma breve revisão. São Paulo: Revista Brasileira de Oceanografia. 51:53-68.

Calliari L.R., Pereira P.S., De Oliveira A.O., Figueiredo S.A. 2005. Variabilidade das Dunas Frontais no Litoral Norte e Médio do Rio Grande do Sul, Brasil. Porto Alegre: GRAVEL. 3:15-30.

Calliari L.J., Toldo Jr E.E. 2016. Chapter 18 – Ocean Beaches of Rio Grande do Sul. In: Short A.D., Klein A.H.F. (org.) Brazilian Beach Systems. Florida: Springer, p. 1-36.

Davies J.L. 1964. A morphologic approach to the word’s shorelines. Geomorphology. 8:127-142.

Dillenburg S.R.,Tomazelli L.J., Martins L.R., Barboza E.G. 2005. Modificações de Longo Período da Linha de Costa das Barreiras Costeiras do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: GRAVEL. 3: 9-14.

Dillenburg S.R., Barboza E.G., Tomazelli L.J., Hesp P.A., Clerot L.C.P., Ayup-Zouain R.N. 2009. Chapter 3 – The Holocene Coastal Barriers of Rio Grande do Sul. In: Dillenburg, S.R.; Hesp, P.A. (Ed). Springer. Geology and Geomorphology of Holocene Coastal Barriers of Brazil. Berlim: Springer, p. 53-91.

Disperatti A.A. 1995. Fotografias aéreas inclinadas. Curitiba: Editora UFPR. 113 p.

Esteves L.S. 2006. Rio Grande do Sul. In: Muehe D. (Org.) Erosão e Progradação do Litoral Brasileiro. Ministério do Meio Ambiente, p. 460-467.

Dolan R., Davis R.E. 1992. An intensity scale for Atlantic coast northeast storms. Journal of Coastal Researsh. 8(3):840-853.

Jensen J.R. 2009. Sensoriamento Remoto do Ambiente: uma perspectiva em recursos terrestres. Tradução de J.C.N. Epiphanio. São José dos Campos: Parênteses. 598 p.

Klein A.H.F., Short A.D. 2016. Brazilian Beach Systems: Introduction. In: Short A.D., Klein A.H.F. (Org.) Brazilian Beach Systems. Springer: Florida, p. 1-36.

Leal K.B. 2016. Análise da variação da linha de costa nos balneários Mostardense, Mar Grosso, Cassino e Barra do Chuí – RS a partir de geotecnologias. Trabalho de conclusão de curso em Geografia. FURG. 90 p.

Leal K.B., Oliveira U.R., Espinoza J.M.A. 2018. Variação do limite praia-duna nos Balneários Mostardense, Mar Grosso, Cassino e Barra do Chuí - RS no intervalo entre 2003-2015. Quaternary and Environmental Geosciences, 9: 25-37.

Lima S.F., Almeida L.E.S.B., Toldo Jr. E.E. 2001. Estimate of longshore sediments transport from waves data to the Rio Grande do Sul coast. Porto Alegre: Pesquisas em Geociências. 48: 99-107.

Martinho C.T. 2008. Morfodinâmica e evolução de campos de dunas transgressivos quaternários do litoral do Rio Grande do Sul. Tese de doutorado em Geociências. Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. Porto Alegre. 241 p.

Nicolodi J.L., Toldo Jr E.E., Almeida L.E.S.B. 2003. Correntes costeiras induzidas por eventos de tempestades no litoral médio do Rio Grande Do Sul. Anais do IX Congresso Brasileiro de Estudos do Quaternário.

Oliveira U.R., Leal K.B., Simões R.S., Rodrigues G., Porto F., Moreira J. 2015. Geomorfologia costeira junto aos balneários oceânicos do litoral médio e sul do estado do Rio Grande do Sul: uma abordagem qualitativa. Imbé-RS: Anais da associação Brasileira de Estudos do Quaternário – ABEQUA. p. 56-57.

Oliveira U.R., Simões R.S., Calliari L.J., Gauterio B.C. 2019. Erosão de dunas sob ação de um evento extremo de alta energia de ondas na costa central e Sul do Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Brasileira de Geomorfologia, 20:137-158.

Pereira P.S., Calliari L.J., Barletta R.C. 2010. Heterogeneity and homogeneity of Southern Brazilian beaches: A morphodynamic and statistical approach. Continental Shelf Research, 30:270-280.

Scottá F.C., Rockett G.C., Portz L., Cardia V.C. 2015. Deslocamento de dunas costeiras: uma análise através de dados de sensoriamento remoto orbital na Lagoa do Peixe, RS. Porto Alegre: Gravel, 13(1):15-25.

Short A.D., Hesp P. 1982. Wave, beach and dune interactions in southeastern Australia. Amsterdan: Marine Geology, 48:259-284.

Short A.D. 1999. Handbook of Beach and Shoreface Morphodynamics. Chichester, England: Wiley, 379 p.

Simões R.S. 2015. Análise da distância média entre as ocupações a beira-mar e o limite superior da praia nos balneários São Simão, Mostardense, Praia do Farol e Mar Grosso, RS. Trabalho de Conclusão de Curso em Geografia. Universidade Federal do Rio Grande – FURG, 84 p.

Simões R.S., Oliveira U.R., Espinoza J.M.A. 2017. Balneário Mostardense - RS: da transgressão eólica sobre edificações à erosão costeira. Anais do Encontro Nacional de Gerenciamento Costeiro – ENCOGERCO p. 261-262.

Simões R.S., Oliveira U.R. 2017. Análise da variação do limite superior da praia no balneário Mostardense, com auxílio de diferentes geotecnologias. In: Anais do XVI Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário - ABEQUA - Mudanças Climáticas no Passado e no Presente: Conhecer para Entender as Consequências no Futuro, Bertioga - SP.

Simões R.S. 2018. Mobilidade do limite praia-duna no balneário Mostardense – RS: monitoramento por VANT. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal do Rio Grande. 128p.

Simões R.S., Oliveira U.R., Espinoza J.M.A., Albuquerque M.G., Alves D.C.L. 2019. Uso de drone de pequeno porte para análise costeira: enfoque metodológico. Revista Brasileira de Geografia Física, 12(2):622-640.

Smith M.J., Cromley R.G. 2012. Measuring historical coastal change using GIS and the change polygon approach. Transactions in GIS. 16:3-15.

Toldo Jr. E.E., Almeida L.E.S.B., Nicolodi J.L., Martins L.R. 2006. Rio Grande do Sul. In: Muehe D. (Org.) Erosão e Progradação do Litoral Brasileiro. Ministério do Meio Ambiente, p. 468-475.

Tomazelli L. 1993. O Regime dos Ventos e a Taxa de Migração das Dunas Eólicas Costeiras do Rio Grande do Sul, Brasil. Pesquisas em Geociências, 20 (1): 18-26.

Tomazelli L.J., Villwock J.A. 2000. O Cenozoico no Rio Grande do Sul: Geologia da Planície Costeira. In: Holz M., De Ros L.F. (Eds.). Geologia do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: CIGO/UFRGS, p. 375-406.

Tomazelli L.J., Villwock J.A. 2005. Mapeamento Geológico de Planícies Costeiras: o Exemplo da Costa do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Gravel. 3:109-115.

Villwock J.A., Tomazelli L.J. 1995. Geologia Costeira do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Notas Técnicas/Centro de Estudos de Geologia Costeira e Oceânica. Universidade Federal do Rio Grande do Sul – CECO/IG/UFRGS, 8:1-45




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/abequa.v11i1.65729

Quaternary Environmental Geosciences