Tecnógeno em ambientes fluviais: noroeste do Paraná, Brasil

Pedro França Junior, Marta Luzia Souza

Resumo


De modo a contribuir para as pesquisas do Tecnógeno no Brasil, este artigo tem como objetivo identificar os fatores intervenientes e classificar os depósitos tecnogênicos em ambientes fluviais em municípios pertencentes à região Noroeste do estado do Paraná. O artigo foi desenvolvido metodologicamente a partir da análise de dados secundários, onde apresentou os efeitos do Tecnógeno, destacando as mudanças no uso da terra, tanto na área rural quanto urbana, a ocorrência de feições erosivas de diferentes portes e o assoreamento dos cursos d’água. Sendo assim, os depósitos tecnogênicos são de diversas gêneses e retratam a materialidade do processo de edificação da sociedade sobre a natureza.

Palavras-chave


Noroeste do Paraná; Tecnógeno; Depósitos tecnogênicos

Texto completo:

PDF

Referências


Bigarella J.J. 2003. Estrutura e origem das paisagens tropicais e subtropicais. Vol. 3. UFSC. Florianópolis. 592p. Cap. 22.

Bigarella J.J., Mazuchoswski J.Z. 1985. Visão integrada da problemática da erosão. In: Simpósio Nacional de Controle de Erosão, III., Maringá, ABGE, ADEA. 332p.

Cancean M.D.J.G. 2013. Estudo da Voçoroca Vila Vitória em área peri-urbana no município de Loanda-PR. PDE. em www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/producoes_pde/artigo_maria_dolores_jodar_gutierrez.pdf

Coltrinari L., McCall J.H. 1995. Geoindicadores: Ciência da Terra e Mudanças Ambientais. Revista do Departamento de Geografia. Universidade Estadual de São Paulo - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Revista.Vol. 09.

Costa T.L. 2012. Do ouro ao pó. Cafeicultura e erosão no norte do Paraná. Anais do XI Encontro Nacional de História Oral, Rio de Janeiro.

Erle E., Pôncio R. 2007. "Uso da terra e mudança da cobertura da terra." Enciclopédia da Terra. Eds. Cutler Cleveland J. (Washington, DC: Coalizão de Informação Ambiental, do Conselho Nacional de Ciência e Meio Ambiente). [Inicialmente publicado na Enciclopédia da Terra 17 julho de 2006; Última revisão 10 de agosto de 2007; Retirado 28 de julho de 2010] < http://www.eoearth.org/article/Land-use_and_landcover_change.

França Junior P. 2010. Análise do uso e ocupação da bacia do córrego Pinhalzinho II utilizando geoindicadores, Umuarama-PR, 1970-2009. Maringá, 2010. Dissertação de mestrado. Programa de Pós-graduação em Geografia, Universidade Estadual de Maringá-PR. 90p.

França Junior P., Souza M.L., Villa M.E.C. 2012. Alteração Ambiental da planície aluvial do curso médio no Córrego Pinhalzinho II, Noroeste do Paraná/Brasil. SINAGEO.-Simpósio Nacional de Geomorfologia- Rio de Janeiro. Disponível em: http://www.sinageo.org.br/2012/trabalhos/2/2-191-352.html

Korb C.C. 2006. Identificação de depósitos tecnogênicos na barragem Santa Bárbara, Pelotas (RS). 164f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Maack R. 1968. Geografia Física do Estado do Paraná. 1ª.Edição, Curitiba, 1968. Liv. José Olympio Edit.

Mineropar - Minerais do Paraná. 2001. Atlas Geológico do Estado do Paraná - Escala base 1: 500.000; Curitiba.

Muratori A.M. 1997. Os microdesertos edáficos na neopaisagem da Região Noroeste do Estado do Paraná – Brasil, como registro de um novo período geológico (Quinário?). Revista RA'EGA, 01:133-140.

Oliveira A.M.S. 1990. Depósitos tecnogênicos associados à erosão atual. In: Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia, 6, Salvador. Anais. São Paulo. ABGE, 1: 411-415.

Oliveira A.M.S. 1994. Depósitos tecnogênicos e assoreamento de reservatórios: exemplo do reservatório de Capivara, Rio Paranapanema, SP/PR. São Paulo. 2v. Tese (Doutorado) - Departamento de Geografia, Universidade de São Paulo.

Oliveira A.M.S., Queiroz Neto J.P. 1994. Depósitos tecnogênicos induzidos pela erosão acelerada no planalto ocidental paulista. Boletim Paulista de Geografia nº 73, São Paulo, 1994.

Oliveira A.M.S., Brannstrom C., Nolasco M.C., Peloggia A.U.G., Peixoto M.N.O., Coltrinari L. 2005. Tecnógeno: Registros da Ação Geológica do Homem In: Souza C.R.G., Kenitiro S., Oliveira A.M.S., Oliveira P.E. (Org.). Quaternário do Brasil. Holos Editora. São Paulo-SP.

Pellogia A.U.G. 1997. A ação do homem enquanto ponto fundamental da geologia do Tecnógeno: proposição teórica básica e discussão acerca do caso do município de São Paulo. Revista Brasileira de Geociências, 27(3):257-268, setembro de 1997. São Paulo – SP.

Pellogia A.U.G. 1998. O homem e o ambiente geológico: geologia, sociedade e ocupação urbana no município de São Paulo. São Paulo: Xamã.

Pellogia A.U.G. 1999. Sobre a classificação, enquadramento estratigráfico e cartografação dos solos e depósitos tecnogênicos. In: Peloggia A.U.G. Manual Geotécnico 3: Estudos de Geotécnica e Geologia Urbana (I). São Paulo: [s.n.], p.35-50.

Peloggia A., Oliveira A.M.S. 2005. "Tecnógeno: um novo campo de estudos das Geociências." Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário. Vol. 10.

Souza M.L. 2001. Proposta de um sistema de classificação de feições erosivas voltados a estudos de procedimentos de análises de decisões quanto a medidas corretivas, mitigadoras e preventivas: aplicação no município de Umuarama (PR). Rio Claro. Tese de doutorado - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências exatas, 284p.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/abequa.v5i2.34777

Quaternary Environmental Geosciences