Proposta de classificação do tecnógeno para uso no mapeamento de áreas de risco de deslizamento

Fabrício Araujo Mirandola, Eduardo Soares de Macedo

Resumo


Este trabalho coloca em discussão aspectos relativos ao acréscimo de uma proposta de classificação do tecnógeno, ao mapeamento de feições, depósitos e vetores tecnogênicos, à análise da carta de eixos de escoamento superficial e à setorização do tecnógeno ao método usual de elaboração de mapeamentos de risco. Como área-piloto para a elaboração dos mapeamentos de risco de deslizamento foi selecionada a favela Real Parque, em São Paulo, SP. Uma carta de risco foi elaborada com base no método usual, e a outra foi elaborada com base nos parâmetros utilizados na primeira carta, porém com a inclusão da análise do tecnógeno. Conclui-se que a inserção da análise do tecnógeno na elaboração da carta aperfeiçoou a análise do risco de deslizamento, aumentando o detalhe nas observações de campo e possibilitando a identificação de novos setores, os quais apresentam graus de risco mais elevados do que aqueles observados pelo método usual.


Palavras-chave


Tecnógeno; Classificação; Carta de Risco; Deslizamento

Texto completo:

PDF

Referências


Bertê A.M.A., Troleis A., Suertegaray D.M.A. 2000. O Tempo da Ação Humana e suas Transformações. Anais do III Simpósio de Geomorfologia. V. 1. Campinas.

Bertê A.M.A. 2004. Depósitos tecnogênicos e planejamento urbano: o aterro sanitário da zona norte de Porto Alegre – RS/Brasil. Anais do V Encontro Nacional de Geomorfologia, 1: 1-15.

Cerri L.E.S., Amaral C.P. 1998. Riscos Geológicos. In: Oliveira A.M.S., Brito S.N.A. (Eds). Geologia de Engenharia. ABGE, São Paulo. Cap 18, 301-310p.

Chemekov Y.F. 1983. Technogenic deposit. Abstracts of XI INQUA Congress, 3:62. Moscow.

Fanning D.J., Fanning M.C.B. 1989. Soil: morphology, genesis and classification. John Wiley & Sons, New York, 395p.

Fujimoto N.S.V. 2000. Análise ambiental urbana na área metropolitana de Porto Alegre, RS: proposta teórica e metodológica. Tese de Doutorado. Pós-Graduação em Geografia, Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 238p.

Horn Filho N.O. 2003. Setorização da Província Costeira de Santa Catarina em base aos aspectos geológicos, geomorfológicos e geográficos. GEOSUL, v.18, 35:71-98.

Ministério das Cidades, Instituto de Pesquisas Tecnológicas. 2007. Mapeamento de Riscos em Encostas e Margem de Rios. Ministério das Cidades, Brasília, 176p.

Mirandola F.A. 2003. Zoneamento de risco geológico na área da favela Real Parque, São Paulo. Monografia (Trabalho de Formatura). Graduação em Geologia, Instituto de Geociências, Universidade de São Paulo, 120p.

Nolasco M.C. 2002. Registros geológicos gerados pelo garimpo: Lavras Diamantinas - BA. Tese de Doutorado. Pós-Graduação em Geologia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 316p.

Nolasco M.C., Oliveira A.M.S. 2001. Registros geológicos tecnogênicos e suas conseqüências: um olhar sobre a ação geológica do homem. Anais do V Congresso Quaternário de Países de Línguas Ibérricas, 1: 297-300.

Nolasco M.C., Oliveira A.M.S. 2000. Tecnogenic actions and records; a proposal of classification. Resúmenes II Congresso Latinoamericano de Sedimentología, 1:133p.

Oliveira A.M.S. 1990. Depósitos tecnogênicos associados à erosão atual. Anais do VI Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia, 1:411-415.

Oliveira A.M.S., Brannstrom C., Nolasco M.C., Peloggia A.U.G., Peixoto M.N.O., Coltrinari L. 2005. Tecnógeno: registros da ação geológica do homem. In: Souza C.R.G., Suguio K., Oliveira A.M.S., Oliveira P.E. (eds) Quaternário do Brasil. Holos, Ribeirão Preto, Cap.17, 363-378p.

Peloggia A.U.G. 1996. Delineação e aprofundamento temático da geologia do tecnógeno no município de São Paulo: as consequências da ação do homem sobre a natureza e as determinações geológicas da ação humana em suas particularidades referentes à precária ocupação urbana. Tese de Doutorado. Pós-Graduação em Geologia, Instituto de Geociências, Universidade de São Paulo, 262p.

Peloggia A.U.G. 1999. Sobre a classificação, enquadramento estratigráfico e cartografação dos depósitos tecnogênicos. In: Prefeitura do Município de São Paulo (eds) Artigo em manual técnico: Estudos de Geotécnica e Geologia Urbana (I). Manual Técnico 3 GT – GEOTEC, São Paulo, 42p.

Peloggia A.U.G. 2003. O problema estratigráfico dos depósitos tecnogênicos. Anais do IX Congresso Brasileiro de Estudos do Quaternário, 1 CD-ROM.

Peloggia A.U.G., Oliveira A.M.S. 2005. Tecnógeno: um novo campo de estudos das geociências. Anais do X Congresso Brasileiro de Estudos do Quaternário, 1 CD-ROM.

Ross J.L.S. 1992. O registro cartográfico dos fatos geomorfológicos e a questão da taxonomia do relevo. Revista do Departamento de Geografia, 6:17-29.

Ter-Stepanian G. 1988. Beginning of the Tecnogene. Bulletin of the international Association of Engineering Geology, 38:133-142.

Zorzato D., Peloggia A.U.G. 2000. Análise do risco geológico urbano no Município de São Paulo na década de 1990. Secretaria da Habitação e Desenvolvimento Urbano (Superintendência de Habitação Popular), Manual Técnico: Estudos de geotécnica e geologia urbana (II), 45p




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/abequa.v5i1.34764

Quaternary Environmental Geosciences