A abordagem tecnogênica: reflexões teóricas e estudos de caso

Erika Cristina Nesta Silva, Marcel Bordin Galvão Dias, Dener Toledo Mathias

Resumo


O desenvolvimento das técnicas e os avanços no campo científico possibilitaram a ampliação da capacidade interventora das sociedades sobre os ambientes, modificando-os de acordo com as demandas por recursos necessários à sua sobrevivência. Tal capacidade está relacionada às características sociais, políticas, econômicas e culturais dos diferentes grupos humanos. Dada a magnitude das intervenções antrópicas nas paisagens, observam-se inúmeras alterações nas dinâmicas e processos naturais, especialmente aqueles relacionados ao relevo e aos solos. A materialização destas modificações pode ocorrer, entre outras formas, através da gênese de depósitos tecnogênicos, constituídos por materiais sedimentares acrescidos de artefatos diversos, produto das diferentes atividades humanas desenvolvidas ao longo do processo histórico. Em áreas urbanas, estes depósitos têm sua gênese relacionada ao uso-ocupação do solo, considerando-se as práticas realizadas no intuito de adequar as características do meio físico às necessidades dos citadinos. Estas práticas resultam, por vezes, na instalação de um quadro de degradação ambiental, caracterizado pela ocorrência de erosão antrópica, assoreamento, disposição inadequada de resíduos sólidos, entre outros. Sob essa perspectiva, este trabalho objetiva retratar a ação antrópica e seus desdobramentos sobre o ambiente urbano, materializados por meio da formação dos depósitos e coberturas tecnogênicas. Para tanto, elegeram-se três áreas de estudo localizadas nos municípios de Goiânia (GO), São Pedro (SP) e Presidente Prudente (SP), visto que estas localidades apresentam similitudes quanto à formação de depósitos e coberturas tecnogênicas relacionados ao uso-ocupação do solo, possibilitando uma análise comparativa entre os diferentes contextos socioambientais.


Palavras-chave


Ação antrópica; Uso e ocupação do solo; Depósitos e coberturas tecnogênicas

Texto completo:

PDF

Referências


Ab’Saber A.N. 1969. Um conceito de geomorfologia a serviço das pesquisas sobre o Quaternário. Geomorfologia, 18:1-15.

Bertoni J., Lombardi Neto F. 1999. Conservação do Solo. Ícone, São Paulo, 355p.

Bigarella J.J., Becker R. D., Passos E. 1996. Estrutura e origem das paisagens tropicais e subtropicais. Ed. UFSC, Florianópolis, 875p.

Campos J.E.G., Rodrigues A.P., Almeida L., Resende L., Magalhães L.F., Sá M.A.M. 2003. Diagnóstico Hidrogeológico da Região de Goiânia. Superintendência de Geologia e Mineração, Goiânia, 87p.

Carpi Jr S. 1996. Técnicas cartográficas aplicadas à dinâmica da bacia do Ribeirão Araquá – SP. Dissertação de Mestrado. Pós-Graduação em Geografia, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, 188p.

Casseti V. 1992. Geomorfologia do Município de Goiânia. Boletim Goiano de Geografia, 12 (1): 65-85.

Cunha B.C.C. 2000. Impactos Sócio-ambientais Decorrentes da Ocupação da Planície de Inundação do Ribeirão Anicuns: O caso da Vila Roriz. Dissertação de Mestrado. Pós-Graduação em Geografia, Instituto de Estudos Socioambientais, Universidade Federal de Goiás, 207p.

Dias M.B.G. 2013. A Geomorfologia Urbana e os Depósitos Tecnogênicos: Aspectos Teórico-Metodológicos e Estudo de Caso. Anais do Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada, 15:57-66.

Facincani E.M. 1995. Influência da estrutura e tectônica no desenvolvimento das boçorocas da região de São Pedro: proposta de reabilitação e aspectos jurídico-institucionais correlatos. Dissertação de Mestrado. Pós-Graduação em Geografia, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, 124p.

Fanning D.J., Fanning M.C.B. 1989. Soil: morphology, genesis and classification. New York, John Wiley & Sons, 393p.

Fendrich R., Obladen N.I., Aisse M.M., Garcias C.M. 1997. Drenagem e controle da erosão urbana. Champagnat, Curitiba, 486p.

IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo. 1981. (São Paulo). Estado de São Paulo, Mapa Geológico, escala 1:500.000.

Mathias D.T. 2011. Propostas de recuperação de áreas peri-urbanas erodidas com base em parâmetros hidrológicos e geomorfológicos: Córrego Tucunzinho (São Pedro/SP). Dissertação de Mestrado. Pós-Graduação em Geografia, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, 128p.

Mathias D.T., Cunha C.M.L. 2012. Condicionantes antropogênicos na evolução de processos de erosão linear acelerada: Córrego Tucunzinho (São Pedro/SP). Anais do Congresso Brasileiro sobre Desastres Naturais, 1:1-10.

Nir D. 1983. Man, a geomorphological agent: An introduction to anthropic geomorphology. Keter, Jerusalem and Reidel, Dordrecht, 165p.

Nolasco M.C. 1998. Depósitos Antrópicos/Tecnogênicos: um conceito em discussão na Geologia. Monografia de Qualificação de Doutorado. Pós-Graduação em Geologia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 63p.

Nunes J.O.R., Freire R., Perez I.U. 2006. Mapeamento Geomorfológico do perímetro urbano do município de Presidente Prudente-SP. Anais do Simpósio Nacional de Geomorfologia; I.A.G. Regional Conference on Geomorfology, 1-11.

Oliveira A.M.S. 1990. Depósitos tecnogênicos associados à erosão atual. Anais do Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia, 1:411-416.

Oliveira A.M.S. 1995. A Abordagem Geotecnogênica: a Geologia de Engenharia no Quinário. In: Bitar O.Y. (coord.). Curso de Geologia aplicada ao Meio Ambiente. ABGE: IPT, São Paulo, 231-241 p.

Oliveira J.B. 1999. Solos do Estado de São Paulo: descrição das classes registradas no mapa pedológico. Boletim Científico 45, IAC, Campinas, 112p.

Oliveira A.M.S., Brannstrom C., Nolasco M.C., Peloggia A.U.G., Peixoto M.N.O., Coltrinari L. 2005. Tecnógeno: registros da ação geológica do homem. In: Souza C.R.G., Suguio K., Oliveira A.M.S., Oliveira P.E. (Ed.). Quaternário do Brasil. ABEQUA/Holos, São Paulo, 363-378p.

Peloggia A.U.G. 1996. Delineação e aprofundamento temático da geologia do tecnógeno do município de São Paulo: as conseqüências geológicas da ação do homem sobre a natureza e as determinações geológicas da ação humana em suas particularidades referentes à precária ocupação urbana. Tese de Doutorado. Pós-Graduação em Geociências, Instituto de Geociências, Universidade de São Paulo, 162p.

Peloggia A.U.G. 1998. O homem e o ambiente geológico: geologia, sociedade e ocupação urbana no município de São Paulo. Xamã, São Paulo, 271p.

Peloggia A.U.G. 1999. Sobre a classificação, enquadramento estratigráfico e cartografação dos solos e depósitos tecnogênicos. In: Peloggia A.U.G. Manual Geotécnico 3: Estudos de Geotécnica e Geologia Urbana. São Paulo, 1:35-50.

Peloggia A.U.G. 2003. O problema estratigráfico dos depósitos tecnogênicos. Citação de referencias e documentos eletrônicos. Disponível em: http://www.abequa.org.br/trabalhos/projeto_43.pdf Acessado em 05 de maio de 2012.

Peloggia, A.U.G. 2005. A cidade, as vertentes e as várzeas: A transformação do relevo pela ação do homem no município de São Paulo. Revista do Departamento de Geografia, 16:24-31.

Peloggia, A.U.G., Oliveira A.M.S. 2005. Tecnógeno: um novo campo de estudos das Geociências. Anais do Congresso da Associação Brasileira de Estudo do Quaternário, 1:4.

Rohde G.M. 2005. Epistemologia Ambiental: uma abordagem filosófico-científica sobre a efetuação humana alopoiética. EDIPUCRS, Porto Alegre, 407p.

Ross J.L.S., Moroz I.C. 1997. Mapa Geomorfológico do Estado de São Paulo. São Paulo, IPT/FAPESP, 1 mapa geomorfológico, escala 1:1000000.

Sanchez M.C. 1971. Contribuição ao conhecimento das bases naturais dos municípios de São Pedro e Charqueada (SP). Notícia Geomorfológica, 11(21):47-60.

Silva E.C.N. 2012. Formação de depósitos tecnogênicos e relações com o uso e ocupação do solo no perímetro urbano de Presidente Prudente – SP. Dissertação de Mestrado. Pós-Graduação em Geografia, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, 183p.

Silva R.B. 2005. Segregação e/ou integração: O Programa de Desfavelamento e Loteamentos Urbanizados em Presidente Prudente. Dissertação de Mestrado. Pós-Graduação em Geografia, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, 130p.

Sposito E.S. 1990. Produção e apropriação da renda fundiária urbana em Presidente Prudente. Tese de Doutorado. Pós-Graduação em Geografia Humana, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 230p.

Ter-Stepanian G. 1988. Beginning of the Technogene. Bulletin I.A.E.G., 38:133-142.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/abequa.v5i1.34521

Quaternary Environmental Geosciences