Identificação de depósitos tecnogênicos em um reservatório de abastecimento de água da cidade de Pelotas (RS)

Carina Cristiane Korb, Dirce Maria Antunes Suertegaray

Resumo


Este trabalho analisa a formação e constituição dos depósitos derivados do assoreamento no Reservatório Santa Bárbara (Pelotas - RS). Desta forma, foi feito o mapeamento do uso e ocupação do solo da bacia hidrográfica deste corpo d’água, referente a duas épocas: 1988 e 2002. Posteriormente, os depósitos foram caracterizados e classificados, de acordo com sua estrutura, gênese e composição. Para isto, foi feito testemunhagem na confluência de cada um dos cinco afluentes. Os resultados obtidos foram a quantificação das classes de uso e ocupação do solo, a identificação e classificação dos depósitos tecnogênicos e a verificação, nestes, de fases de menor e maior antropização. 


Palavras-chave


Depósitos tecnogênicos; Reservatório; Tecnógeno.

Texto completo:

PDF

Referências


Chemekov Y.F. 1983.Technogenic deposits. In: Inqua Congress, II, Moscou, Abstracts… v.3, p.62.

Cordeiro L.H. 2000. Identificação e caracterização da bacia de captação do reservatório Santa Bárbara Pelotas – RS. Monografia de Graduação. Curso de Oceanologia. Departamento de Geociências. Fundação Universidade Federal do Rio Grande. 82p.

Esteves F. de A. 1988. Fundamentos de Limnologia. Rio de Janeiro: Interciência/FINEP. 575p.

Fanning D.J., Fanning M.C.B. 1989. Soil: morphology, genesis and classification. New York: John Wiley & Sons. 395p.

Franzen M. 2001. Análise da contaminação por nutrientes, elementos maiores e elementos-traço nas águas e sedimentos do Arroio Sapucaia – RS. Dissertação de Mestrado. Pós-Graduação em Geociências. Instituto de Geociências. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 93p.

Hakanson L. 1980. An ecological risk index aquatic pollution control. A sedimentological approach. Water Res. 14: 975-1001.

Korb C.C. 2006. Identificação de Depósitos Tecnogênicos no Reservatório Santa Bárbara, Pelotas (RS). Dissertação de Mestrado. Pós-Graduação em Geografia. Instituto de Geociências. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 164p.

Müller G. 1979. Schwermetallen in den Sedimenten dês Rheins. Veranderrugen Seit, Umschau, 79:778-783.

Nolasco M.C. 1998. Depósitos Antrópicos/Tecnogênicos: Um conceito em discussão na Geologia. Monografia de Qualificação de Doutorado. Pós-Graduação em Geociências. Instituto de Geociências. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 63p.

Oliveira A.M.S. 1990. Depósitos Tecnogênicos associados à erosão atual. In: Congresso Brasileiro de Engenharia, 6, Salvador. Atas... Salvador, ABGE, 1:411-415.

Oliveira L.D. 2001. Geologia, Geoquímica e Geocronologia dos Granitóides Pós-Tectônicos à Zona de Cisalhamento Transcorrente de Porto Alegre, Extremo Nordeste do escudo Sul-Riograndense. Dissertação de Mestrado. Pós-Graduação em Geociências. Instituto de Geociências. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 100p.

Peloggia A.U.G. 1999. Sobre a classificação, enquadramento estratigráfico e cartografação dos solos e depósitos tecnogênicos. In: Prefeitura do Município de São Paulo/SEHAB/HABI/, Estudos de Geotécnica e Geologia Urbana (I). São Paulo, Manual Técnico 3 (GT-GEOTEC), p.35-50.

Pelotas, Prefeitura Municipal de. 1980. II Plano Diretor de Pelotas, Lei 2565/80. 73p.

Rodrigues M.L.K. 1997. Diagnóstico da poluição por elementos-traço no sedimento da bacia hidrográfica do Rio Caí. Dissertação de Mestrado. Pós-Graduação em Ecologia. Instituto de Biociências. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 124p.

Shepard F.D. 1954. Nomenclatures based on sand-sil-clay rations. Journal of Sedimentary Petrology, v. 24, n.3. p.151-158.

Soares M.C.C. 2002. Avaliação Geoambiental da bacia Hidrográfica do Arroio do Salso, Porto Alegre, RS. Dissertação de Mestrado. Pós Graduação em Geociências, Departamento de Geologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 100p.

Ter-Stepanian G. 1988. Beginning of The Technogene. In: Bulletin of The International Association of Engineering Geology, France: IAEG, Nº 38, p.133-142.

Torres A.M., Bastos M.L.L., Boaventura G.R., Licht O.A.B., Kern D.C., Junior G.M., Frazão F.J.L., Costa M.L. da., Borba R.P., Figueiredo B.R. 2005. A Geoquímica dos Sedimentos e Solos. In: Souza C.R.G., Suguio K., Oliveira A.M.S., Oliveira P.E. de. (org.). Quaternário do Brasil. 1ª ed. Ribeirão Preto: Ed. Holos. p.298-320.

Turekian K.K., Wedepohl K.H. 1961. Distribution of the elements in some major units of the earth’s crust. Bull. Geol. Soc. American. 72: 175-192.

Wentworth C.R. 1922. A scale of grade and class terms of clastic sediments. Journal of Geology, v. 30. p. 377-392.

Wetzel R.G. 1975. Limnology. Rhkadelphia: W.B. Sauders. Company, 734p.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/abequa.v5i1.33918

Quaternary Environmental Geosciences