A distribuição de capitais entre a mão esquerda e a mão direita da burocracia brasileira

Otávio Ventura

Resumo


RESUMO Introdução: Partindo das formulações teóricas de Pierre Bourdieu sobre o Estado, este trabalho examina dados de mais de 200 carreiras civis do Poder Executivo Federal com o objetivo de compreender como se dá a distribuição de diferentes tipos de capital na burocracia brasileira. Métodos: Para isso, foi empregado o método Principal Components Analysis (PCA) em uma base de carreiras construída a partir de dados extraídos do Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos (Siape). Resultados: Os resultados mostram que são mais valorizadas e mais restritas as carreiras associadas à noção bourdieusiana de mão direita do Estado, como economia, gestão, finanças e controle, e menos valorizadas e menos restritas as carreiras mais associadas à mão esquerda do Estado, como saúde, educação e assistência social; Discussão: revelando uma distribuição desigual de capitais entre segmentos da burocracia brasileira. Isso pode interferir nas chances que cada tipo de burocrata tem na luta permanente para indicar o que é e para falar em nome do interesse público.


Texto completo:

PDF


Revista de Sociologia e Política. ISSN: 0104-4478 (versão impressa)
1678-9873 (versão online)