E se soubéssemos mais? Simulando os votos e as opiniões dos eleitores mais informados no Brasil

Alessandro Freire, Pedro Masson, Mathieu Turgeon

Resumo


RESUMO Introdução: Décadas de pesquisas sobre a opinião pública demonstraram que a maioria das pessoas é altamente desinformada a respeito da política. Entretanto, as consequências dessa desinformação sobre o comportamento eleitoral e sobre as atitudes dos cidadãos ainda parecem pouco claras, especialmente quando se trata de jovens democracias. Métodos: Neste artigo, utilizamos simulações estatísticas de um eleitorado “completamente informado” a partir de dados do Estudo Eleitoral Brasileiro (ESEB) para responder às seguintes perguntas: (1) Como os brasileiros votariam caso fossem mais informados? (2) Como seriam as opiniões políticas dos brasileiros caso fossem mais informados? Aqui, "informação" se refere a conhecimento sobre a política e o governo de maneira geral. Resultados: Os resultados sugerem que os votos e as opiniões políticas dos brasileiros seriam diferentes caso eles fossem mais informados. A falta de informação parece direcionar sistematicamente as preferências coletivas, sugerindo que tais erros não são aleatórios, mas sim produto de assimetrias de informação entre os cidadãos. Discussão: Essas assimetrias podem ser especialmente problemáticas quando se trata de quais opiniões são levadas em consideração pelos representantes dos eleitores, ao tomarem decisões importantes. Os efeitos da desinformação política têm sido vistos sob diferentes olhares pela Ciência Política. Embora alguns teóricos argumentem que a falta de informação não tem efeitos significativos sobre a democracia, outros creem que ela pode trazer consequências notáveis para as escolhas coletivas e para as atitudes políticas dos cidadãos. Nossos resultados nos colocam ao lado do segundo grupo de pesquisadores.


Texto completo:

PDF


Revista de Sociologia e Política. ISSN: 0104-4478 (versão impressa)
1678-9873 (versão online)