A NOVA ORTODOXIA DO BANCO MUNDIAL UMA PERSPECTIVA CRÍTICA

Benjamin Miranda Tabak

Resumo


Este artigo busca resenhar, sob perspectiva crítica, a vertente intitulada “nova ortodoxia” do Banco Mundial. A análise centra-se nas relações entre liberalização (comercial e financeira) e o processo de desenvolvimento, assim como na dicotomia intervenção estatal versus orientação para o mercado, averiguando o “paradigma” do Leste Asiático. Procura, ainda, estabelecer os limites da nova ortodoxia do Banco Mundial.


Texto completo:

PDF


Revista de Sociologia e Política. ISSN: 0104-4478 (versão impressa)
1678-9873 (versão online)