CARL SCHMITT: A AFIRMAÇÃO (EXISTENCIAL) DO POLÍTICO NA CRÍTICA AO LIBERALISMO

Cesar Ramos

Resumo


O artigo tem por objetivo destacar alguns pontos da análise schmittiana da categoria do político. Essa análise, nitidamente conservadora, remete, numa primeira instância, a alguns pressupostos: o caráter conflituoso da natureza humana e a distinção amigo/inimigo. Com base nesses elementos, Schmitt pretende a afirmação do político, denunciando a neutralização/negação do mesmo produzida pelo liberalismo. Essa crítica schmittiana é feita segundo um fundamento existencial que se opõe ao normativismo jurídico.


Texto completo:

PDF


Revista de Sociologia e Política. ISSN: 0104-4478 (versão impressa)
1678-9873 (versão online)