GRUPOS, LEALTADES Y PRÁCTICAS: EL CASO DE LA JUSTICIA PENAL ARGENTINA

María José Sarrabayrouse Oliveira

Resumo


A implementação dos juízos orais na justiça penal nacional argentina é um caso exemplar que permite perceber a forma em que a instalação de um debate de puro corte jurídico colabora na definição de grupos e práticas particulares no interior da agência judicial. Os diferentes tipos de relações que estruturam os grupos integrantes do aparato de justiça penal — definidos pelo status, pela hierarquia, pelo parentesco e pelas lealdades — incidem sobre as características particulares que adquirem as práticas dos agentes. O presente artigo centrar-se-á na análise das práticas cotidianas de funcionamento dos agentes judiciais e nas estratégias “informais” utilizadas pelos atores para um movimento efetivo dentro da agência judicial.


Texto completo:

PDF


Revista de Sociologia e Política. ISSN: 0104-4478 (versão impressa)
1678-9873 (versão online)