INVISIBILIDADE, PRECONCEITO E VIOLÊNCIA RACIAL EM CURITIBA

Pedro Rodolfo Bodê de Moraes, Marcilene Garcia de Souza

Resumo


O artigo propõe-se analisar o processo de construção de Curitiba enquanto “capital européia” o que, por sua vez, implicou tornar invisível a população negra. Demonstra-se como esta imagem, que pode ser vislumbrada através do projeto arquitetônico da cidade, tem suas origens em um falsa idéia de que o Paraná constituiu-se como um “Brasil diferente”, que não teria tido a mesma configuração racial que o restante do país. Principalmente porque, segundo o argumento de intelectuais e pesquisadores locais, não houve escravidão nem população negra significativa. Argumentamos que estas conclusões são incorretas e que tanto no passado quanto hoje há um contigente populacional de negros que são tornados invisíveis, com consequências negativas para este grupo, na assim chamada “capital das etnias”.


Texto completo:

PDF


Revista de Sociologia e Política. ISSN: 0104-4478 (versão impressa)
1678-9873 (versão online)