DÉCADAS DE MICHELS: MARCOS CONTEXTUAIS E PRAZO DE VALIDADE PARA A “LEI DE FERRO”

André Marenco, Maria Izabel Noll

Resumo


O argumento central deste artigo é que existe um prazo de validade temporal para o efeito da lei de ferro das
oligarquias, proposição cunhada por Robert Michels em sua obra Sociologia dos partidos políticos, de
1911. O artigo esboça, na primeira seção, as bases sociais e institucionais que serviram como marcos
contextuais propícios à conversão dos partidos socialistas europeus em princípios do século XX em oligarquias
partidárias: a expansão do sufrágio e a integração na competição eleitoral de candidatos desprovidos
de propriedades e renda, combinado a reformas eleitorais, com a substituição do voto majoritário pela
representação proporcional, especialmente acompanhada pela transferência aos dirigentes da prerrogativa
de confecção e classificação de listas de candidatos partidários. Na segunda seção, o artigo procura
matizar os prognósticos sombrios de Robert Michels acerca da organização partidária, considerando os
fatores que contribuem para maior ou menor delegação do poder interno dos partidos aos seus dirigentes.


Palavras-chave


Robert Michels; lei de ferro das oligarquias; democracia; partidos políticos; organização partidária.

Texto completo:

PDF


Revista de Sociologia e Política. ISSN: 0104-4478 (versão impressa)
1678-9873 (versão online)