POR UMA SOCIOLOGIA HISTÓRICA DA CIRCULAÇÃO E DA RECEPÇÃO DE TEXTOS: ROBERT MICHELS E SOCIOLOGIA DOS PARTIDOS POLÍTICOS NOS ESTADOS UNIDOS

Mario Grynszpan

Resumo


O objetivo deste artigo é, partindo das ponderações de Pierre Bourdieu acerca da importância do estudo
das condições sociais da circulação internacional de ideias, fazer uma sociologia histórica da circulação
e da recepção do livro Sociologia dos partidos políticos, de Robert Michels. Toma-se como foco a passagem
de Michels e de seu livro pelos Estados Unidos, procurando mostrar como consolidou-se a partir daí uma
forma de leitura do texto e uma representação do autor que é hoje predominante e que está na base da sua
celebração e da sua consagração como um clássico da Ciência Política. Para tanto, faz-se uma comparação
sistemática de diferentes edições e traduções do livro, bem como de resenhas que dele foram produzidas,
procurando identificar distintas leituras feitas ao longo do tempo, associando-as com elementos da trajetória
biográfica do autor, bem como com a história das Ciências Sociais nos Estados Unidos e, em particular,
com a história da Ciência Política nesse país. De um autor pessimista em relação à democracia, ou mesmo
com um viés antidemocrático, associado ao fascismo, Michels foi sendo visto no pós-Guerra como um
pensador realista e suas teses como base para a formulação de uma noção de democracia identificada com
o pluralismo liberal.


Palavras-chave


Robert Michels; partidos políticos; circulação de idéias; recepção de idéias; Ciência Política; pluralismo

Texto completo:

PDF


Revista de Sociologia e Política. ISSN: 0104-4478 (versão impressa)
1678-9873 (versão online)