A POLÍTICA DA COOPERAÇÃO ESPACIAL CHINESA: CONTEXTO ESTRATÉGICO E ALCANCE INTERNACIONAL

Marco Cepik

Resumo


O artigo explica as políticas de cooperação internacional da República Popular da China relacionadas àsatividades no campo espacial. Em primeiro lugar, dada a estrutura de poder tripolar no sistema internacionale a dependência crescente de todos os países em relação ao espaço, explica-se que as razões chinesas paraa cooperação espacial são a busca de segurança, desenvolvimento econômico e legitimidade. Em seguida,demonstra-se o estágio atual de desenvolvimento do programa espacial chinês, particularmente nos camposde satélites de imagem, navegação, comunicação e retransmissão de dados, bem como nas áreas de satélitesmicro e nano. Dados os incentivos estruturais, os objetivos estratégicos e o nível atual de desenvolvimentotecnológico, é possível interpretar corretamente as iniciativas multilaterais da China no contexto global,junto ao Comitê das Nações Unidas para o Uso Pacífico do Espaço Exterior (Cpous), bem como no contextoregional, com a recentemente estabelecida Organização de Cooperação Espacial da Ásia-Pacífico (Apsco).Do mesmo modo, é possível compreender o significado, potencialidade e limites práticos da cooperaçãobilateral chinesa com o Brasil e a África do Sul, potências regionais fora da Ásia. Conclui-se que a políticade cooperação espacial chinesa visa a aumentar a influência internacional de Beijing sem gerar reaçõesexageradas das outras grandes potências, postergando uma eventual militarização do espaço e procurandoconstruir parcerias com potências regionais ainda incipientes no espaço, mas tendo em vista o futuro e asexpectativas quanto ao impacto da digitalização.

Palavras-chave


cooperação espacial; Programa Espacial Chinês; segurança internacional

Texto completo:

PDF


Revista de Sociologia e Política. ISSN: 0104-4478 (versão impressa)
1678-9873 (versão online)