ENTRE A MEMÓRIA E O MERCADO O DESENVOLVIMENTO DA EMPRESA DE PORTE MÉDIO NO BRASIL

Paola Cappellin

Resumo


Apresentamos neste artigo uma análise sintética de três estudos de caso de empresas de porte médio – devidro, de móveis e de vinho – em territórios em que a migração italiana deixou rastros que sugerem superaro sentido contrastivo atribuído à força das tradições frente ao atual espírito de concorrência no meioempresarial. A tese que apresentamos e buscamos comprovar é a de que, nos casos analisados, não hácontradição entre tradição e modernidade econômica. Fortalecidos pelas análises da ampliação doempresariado dos estratos médios, os estudos sugerem reconhecer que os vínculos socioeconômicos possibilitamvislumbrar um dinamismo das empresas de porte médio. O estudo enfatiza como primeiro tópico oterritório local, que acolhe as empresas por ser o reservatório de memórias que continua ressaltando atradição dos fundadores. Sucessivamente, delineamos três trajetórias de famílias de origem italiana quedinamizam o atual desenvolvimento industrial em três cidades: o mecanismos da memória aliada àmobilização de mercado assinalam um processo explícito e programado, orientado a proporcionar umaalquimia que valorize os recursos materiais e culturais disponíveis no tecido social. As empresas familiaresestudadas parecem ter conseguido conquistar sua permanência no mercado industrial competitivo graçasa um modelo de crescimento, que não rompe com as heranças de seu passado.

Palavras-chave


empresas familiares; herança cultural; tradição e modernidade; concorrência; mercado

Texto completo:

PDF


Revista de Sociologia e Política. ISSN: 0104-4478 (versão impressa)
1678-9873 (versão online)