CROCE, GRAMSCI E A “AUTONOMIA DA POLÍTICA”

Álvaro Bianchi

Resumo


Na reflexão que Gramsci desenvolveu nos Quaderni del carcere, o tema da autonomia da política ocupa umaimportante posição. Foi com base nessa reflexão que Gramsci desenvolveu sua pesquisa a respeito depolítica e da possibilidade de uma ciência política. Segundo Benedetto Croce, cabia a Nicolau Maquiavelo mérito de ter afirmado pela primeira vez a autonomia da política. Para Croce, essa autonomia permitiaestabelecer uma distinção radical entre ética e política e entre “filosofia da política” e “ciência empíricada política”. Gramsci tomou criticamente a reflexão croceana como ponto de partida de sua leitura deMaquiavel. O reconhecimento da autonomia da política implicava que esta não poderia ser reduzida àreligião ou à ética. Como campo do conhecimento e como atividade, a ciência política e a política tinhamregras próprias, que as distinguiam de outras formas do conhecimento e da atividade humana. Mas tal“autonomia” não implicava, para o marxista sardo, uma separação radical entre política e moral. Por essarazão, Gramsci encontrava em Maquiavel um precursor da filosofia da práxis em sentido pleno, ou seja, ocriador de uma “ciência-ação revolucionária”.

Palavras-chave


Gramsci; Croce; Maquiavel; autonomie de la politique; autonomia da política; ciência; filosofia; the autonomy of politics

Texto completo:

PDF


Revista de Sociologia e Política. ISSN: 0104-4478 (versão impressa)
1678-9873 (versão online)