"PARQUES" EM PAISAGEM URBANA E SEU POTENCIAL PARA IMPLANTAÇÃO DE ÁREAS PROTEGIDAS - ESTUDO DE CASO NO SUDESTE DO BRASIL

Maurício Tavares da Mota, Eliana Cardoso Leite, Fernanda Sola

Resumo


O presente trabalho teve como objetivo avaliar os espaços públicos intitulados “Parque” no município de Sorocaba, a método de avaliação se constitui em três etapas: identificação das áreas, pesquisa bibliográfica sobre o conceito; elaboração de uma proposta de seleção das áreas com maior relevância ambiental, com base nos critérios: tamanho, percentual de cobertura florestal nativa e função destes espaços; avaliação sistemática destes espaços, assim como construção de um índice de qualidade ambiental para áreas selecionadas. Foram identificados 33 parques, pelo método proposto 42,5% foram excluídos pelo critério tamanho, 42,5% pelo critério percentual de vegetação mínima, 5 preencheram requisitos favoráveis para instituição de unidades de conservação. Da área territorial de todos os parques, 41% apresentam cobertura florestal nativa, 42% destes apresentam área menor que 5 ha, juntos são responsáveis por apenas 5% da cobertura florestal, os cinco parques selecionados com potencial para instituição de unidades de conservação são responsáveis por 47% da cobertura florestal. Concluímos que não há normas ou critérios para instituição dos espaços públicos intitulados como “Parque” no município, este fato traz prejuízos na gestão eficaz destes espaços. Foi identificada ainda a necessidade de alterações no SNUC para abranger estes espaços em meio urbano.

Palavras-chave


Parques Naturais Municipais; Parques urbanos; Espaços livres; Unidades de conservação

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v9i1.66594

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.