AVALIAÇÃO DA COBERTURA FLORESTAL NO MUNICÍPIO DE MARINGÁ, PARANÁ

André Cesar Furlaneto Sampaio, Christopher Thomas Blum, Paulo José Moraes Monteiro e Teixeira Germano, Bruno Luiz Domingos De Angelis

Resumo


O Estado do Paraná sofreu grande degradação de suas florestas, sendo a Floresta Estacional Semidecidual a mais afetada. Essa degradação ocasionou uma fragmentação florestal que ocasiona prejuízos para a biodiversidade e o equilíbrio ambiental. O presente estudo teve como objetivo quantificar as áreas florestais existentes no município de Maringá entre 1990 e 2008. Para tal, foram selecionadas as imagens de satélite Landsat 5 mais adequadas para os referidos anos, as quais foram preparadas através de georreferenciamento e recortes para posterior classificação supervisionada. Foram estabelecidas três classes de cobertura do solo, com amostras de treinamento processadas pelo método do paralelepípedo. Verificou-se um aumento da cobertura florestal no município (25,2%), concentrado principalmente nas margens de rios, provavelmente devido a um maior cumprimento da legislação ambiental. O maior aumento ocorreu no setor rural sul de Maringá, que passou de 7,9% para 13,6% de cobertura florestal entre 1990 e 2008.

Palavras-chave


Fragmentação florestal, Sensoriamento remoto, Floresta estacional semidecidual

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v7i2.66524

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.