FITOSSOCIOLOGIA E DIVERSIDADE DE ESPÉCIES ARBÓREAS DAS PRAÇAS CENTRAIS DO MUNICÍPIO DE GURUPI-TO

André Ferreira dos Santos, Anderson Cleiton José, Patrícia Aparecida de Sousa

Resumo


As praças quando apresentam diversidade fitogeográfica e são bem distribuídas no interior das cidades formam um sistema de áreas verdes, que pelos seus atributos tendem promover o conforto térmico, acústico e visual. Sabendo desta necessidade o presente trabalho, teve como objetivo avaliar a composição florística e a diversidade de espécies arbóreas presentes nas praças centrais do município de Gurupi, localizada na região sul do estado do Tocantins, com 11º43'45ʺ latitude sul e 49º04'07ʺ longitude oeste. O estudo foi realizado durante o ano de 2009, entre os meses de março e dezembro. Avaliaram-se as espécies arbóreas localizadas nas praças centrais do município. Encontrou-se 261 árvores de 33 espécies e 15 famílias nas três praças estudadas, sendo 12 espécies nativas do bioma cerrado, com 24 árvores e 12 espécies exóticas à região estudada, num total de 237 árvores. Os autores observaram que as espécies com maior número de indivíduos são exóticas à região (Caesalpinia peltophoroides e Licania tomentosa); que a dominância de poucas espécies contribuiu para redução dos índices de diversidade; e que o uso de maior número de espécies, de preferência nativas da região em substituição às espécies exóticas é uma alternativa para o aumento dos índices de diversidade.

Palavras-chave


Árvores; Arborização urbana; Áreas verdes.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v8i4.66511

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.