EMPREGO DA ARBORIZAÇÃO NA MELHORIA DO CONFORTO TÉRMICO NOS ESPAÇOS LIVRES PÚBLICOS

Juliana Cristina Augusto Shams, Daniele Cristina Giacomeli, Nivia Maria Sucomine

Resumo


A urbanização acelerada nos grandes centros tem incitado sérios danos à condição ambiental, bem como consideráveis prejuízos econômicos, sociais e de qualidade de vida às comunidades urbanas. Em se tratando da qualidade climatológica, nota-se significativo aumento da temperatura dos centros urbanos em relação às áreas rurais adjacentes, sendo este aumento apontado como efeito denunciador das alterações climáticas produzidas pelo ambiente construído, onde os grandes responsáveis por essas alterações são as diferenças existentes entre as características térmicas dos materiais de construção e da vegetação. A partir da análise de trabalhos relacionados aos espaços livres públicos e à arborização urbana, realizada neste artigo, nota-se que, referente aos aspectos do conforto humano as preferências, para realização de atividades, se voltam para ambientes confortáveis termicamente e que a presença da arborização urbana tem comprovado a eficiência para mitigar as temperaturas nos locais de maior concentração populacional, proporcionando estabilidade microclimática devido à redução das amplitudes térmicas, redução da insolação direta, ampliação das taxas de evapotranspiração e redução da velocidade dos ventos, desempenhando assim um importante papel na melhoria da condição ambiental das cidades e conseqüente melhora na qualidade de vida de seus habitantes, além de tornar mais efetiva a utilização dos espaços públicos.

Palavras-chave


árvores, qualidade climatológica, clima urbano, qualidade de vida

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v4i4.66445

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.