A ARBORIZAÇÃO PÚBLICA E A EFICIÊNCIA DO SOMBREAMENTO DA SUPERFÍCIE URBANA EM BAIRROS RESIDENCIAIS DE PORTO VELHO, RO

Antonio dos Santos Junior, Érica da Silva Lacerda, Wellisson Oliveira Gomes

Resumo


A arborização pública da cidade de Porto Velho apresenta alguns problemas decorrentes da falta de planejamento. Para superar estes problemas e aumentar os benefícios esperados da arborização este estudo teve como objetivos: 1) descrever e quantificar as espécies que compõem a arborização pública dos bairros residenciais Liberdade, Costa e Silva e Conjunto Marechal Rondon em Porto Velho; 2) investigar entre as espécies mais abundantes a eficiência do sombreamento da superfície urbana em uma cidade situada na região amazônica. Foi utilizado o método Densidade Metro Linear (DML) para o estudo quali-quantitativo. A eficiência do sombreamento foi investigada com aparelhos do tipo termo-higromêtro. Foram identificadas 18 espécies pertencentes a 13 famílias. As espécies dominantes foram Mangifera indica, Syzygium malaccense e Ficus benjamina. Aproximadamente 44% das espécies são frutíferas. Estima-se que exista uma árvore a cada 50 m de passeio público. Os resultados revelam que cada indivíduo das três espécies dominantes, quando sadio, arrefece a superfície urbana em 7 ºC. Não existe diferença significativa na eficiência de sombreamento entre as três espécies testadas. Identificar as espécies que mais contribuem para o arrefecimento do ambiente urbano em uma cidade na região tropical é uma informação crucial a ser considerada no planejamento da arborização pública da cidade em longo prazo.

Palavras-chave


Cidade Amazônica; Árvores sempre-verdes; Mangifera indica; Ficus benjamina; Syzygium malaccense

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v8i3.66440

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.