DIAGNÓSTICO DA VEGETAÇÃO ARBÓREA E PROPOSTA DE ARBORIZAÇÃO DO RIO CARAHÁ NA CIDADE DE LAGES, SC

Carlos Augusto Martins dos Reis, Ana Carolina da Silva, Pedro Higuchi, Sheila Trierveiler de Souza, Carla Juliana Silva Madruga Ferreira, Beatriz Michelon, Leticia Moro

Resumo


Este estudo foi realizado no trecho do Rio Carahá que passa na cidade de Lages, SC. Ao longo deste trecho foram estabelecidos sete transectos de 50 m de comprimento e de largura variável de acordo com a extensão das margens, distribuídas de forma aleatória. Dentro de cada transecto, todas as árvores com CAP (circunferência a altura do peito) ≥ 15 cm foram identificadas, medidas e avaliadas quanto às suas características de ocupação espacial, presença de injúrias e de condições fitossanitárias. Com exceção da infestação de alguns indivíduos arbóreos por erva-de-passarinho e fungos, foi verificado que as árvores apresentam boas condições fitossanitárias e nenhum tipo de injúria resultante de vandalismo. A vegetação constitui-se basicamente de espécies exóticas (maior dominância de Populus nigra L.) e bastante espaçadas (baixa densidade de indivíduos). Com a finalidade de aumentar a riqueza de espécies e restabelecer processos ecológicos, sugere-se o adensamento e a substituição gradativa por espécies arbóreas nativas que podem oferecer frutos para a fauna aquática e avifauna.

Palavras-chave


arborização urbana, espécies arbóreas nativas, floresta ciliar

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v4i3.66433

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.