VALORES EXTREMOS DO ÍNDICE DE CONFORTO TÉRMICO NAS RUAS DE CURITIBA-PR: COMPARAÇÃO ENTRE AMBIENTES ARBORIZADOS E SEM ARBORIZAÇÃO

Angeline Martini, Daniela Biondi, Antonio Carlos Batista, Kendra Zamproni

Resumo


O inadequado planejamento urbano gera diversos problemas socioambientais, dentre os quais estão as alterações climáticas, que modificam os índices de conforto térmico, prejudicando a qualidade de vida da população. O objetivo deste trabalho foi comparar os valores extremos do índice de conforto térmico obtidos em ruas arborizadas e sem arborização da cidade de Curitiba-PR. Para isto foram selecionados trechos de rua com e sem arborização. O monitoramento das variáveis meteorológicas foi realizado com miniestações da marca Kestrel® e “medidores de stress térmico”, TGD-400. A coleta desses dados foi das 9 às 15 horas, com intervalo de monitoramento de 1 minuto, repetida nas quatro estações do ano, com início no inverno de 2011. O índice utilizado para a análise do conforto térmico foi o UTCI (Universal Thermal Climate Index). Os resultados demonstram que os valores extremos das ruas arborizadas proporcionam melhores condições de conforto do que as ruas sem arborização, em todas as estações do ano. Embora não tenha sido encontrada diferença estatística significativa para os valores gerais, a classificação do UTCI máximo aponta menor desconforto do que na rua sem arborização. Conclui-se que os valores extremos do índice nas ruas arborizadas apresentaram melhores condições de conforto térmico.

Palavras-chave


Arborização urbana; UTCI; Índice de conforto térmico.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v8i3.66429

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.