IDENTIFICAÇÃO DAS ESPÉCIES ORNAMENTAIS NOCIVAS NA ARBORIZAÇÃO URBANA DE SANTIAGO/RS

Angélica Rossana Castro de Souza, Adroaldo Dias Robaina, Marcia Xavier Peiter, Rafael Camargo Ferraz, Natalia Teixeira Schwab, Gessiana Raquel Castro de Souza, Leandro de Melo Pinto

Resumo


A arborização urbana traz diversos benefícios às cidades, tais como melhoria do microclima, embelezamento, redução da poluição sonora e visual além da melhoria física e mental dos habitantes. Porém a inserção de algumas plantas no meio urbano pode trazer malefícios, principalmente quando estas forem providas de princípios tóxicos. O objetivo deste trabalho foi identificar as espécies vegetais potencialmente nocivas distribuídas nas praças, ruas e avenidas do bairro Centro da cidade de Santiago/RS. Para isso foi realizado um levantamento das espécies arbóreas através de visitas in loco, identificando-as individualmente, no período de dezembro de 2007 a fevereiro de 2008.  As espécies foram identificadas de acordo com o sistema de classificação APG III e, posteriormente, calculouse a freqüência de ocorrência de cada espécie. A pesquisa demonstrou a predominância de Ligustrum lucidum Ait. e Melia azedarach L. entre as espécies tóxicas relatadas.

Palavras-chave


Vias públicas; Praças; Princípios tóxicos; Plantas ornamentais

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v6i2.66394

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.