O MAPEAMENTO DE BIÓTOPOS COMO FERRAMENTA PARA IDENTIFICAÇÃO DE CONFLITOS AMBIENTAIS: UM ESTUDO DE CASO NA CIDADE DE SANTA MARIA-RS

Roberto Luiz dos Santos Antunes, Adriano Severo Figueiró

Resumo


O estudo dos biótopos tem se revelado uma ferramenta valiosa para o entendimento da complexidade dos sistemas ambientais em áreas urbanas, permitindo uma melhor compreensão das potencialidades e necessidades que se colocam na relação uso/ preservação. Neste contexto, teve-se como objetivo a realização do mapeamento dos biótopos urbanos presentes no bairro Nossa Senhora do Perpétuo Socorro em Santa Maria, RS, classificando o tipo de biótopo e sua estrutura. A metodologia aplicada foi adaptada e aperfeiçoada à realidade local a partir de trabalhos desenvolvidos na Alemanha e no Brasil, caracterizando-se pela análise em nível de detalhe das unidades de paisagem, que proporcionam um amplo conhecimento acerca da funcionalidade ambiental, dos níveis de ocupação do solo, e da vegetação existente. Cada biótopo foi classificado dentro de uma classe que expressa o grau de impermeabilização do solo, além do levantamento da estrutura da área livre. A vegetação arbórea, arbustiva e herbácea foi identificada em 91,20%, já o restante dos biótopos, não possui nenhum tipo de vegetação expressiva, havendo somente áreas construídas e pequenos jardins.

Palavras-chave


Vegetação urbana; Planejamento ambiental; Geoecologia urbana

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v6i2.66392

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.