QUALIDADE VISUAL DA PAISAGEM DO PARQUE NATURAL MUNICIPAL TANGUÁ, CURITIBA – PR

Rogério Bobrowski, Yury Vashchenko, Daniela Biondi

Resumo


A valoração da paisagem serve como instrumento prático e objetivo para o gerenciamento de parques urbanos: na avaliação e no manejo de impactos e para estabelecimento de Zonas de Amortecimento. Esta pesquisa foi planejada para analisar, valorar e classificar tecnicamente paisagens representativas de um parque municipal de Curitiba (PR), bem como, analisar a preferência dos visitantes em relação às paisagens. A metodologia criada para avaliação técnica consistiu em quantificar os elementos e componentes das paisagens, de acordo com os pesos estabelecidos, para valoração da qualidade visual da paisagem. As paisagens avaliadas foram agrupadas em três classes: 37,21% enquadraram-se na classe Baixa, 32,56% na classe Média e 30,23% na classe Alta. Observou-se uma diferença significativa ao nível de probabilidade de 1%, tanto entre os valores de cada paisagem bem como entre as classes descritas. Houve preferência visual por paisagens sem urbanização e com maior visualização de um conjunto harmônico de elementos. A metodologia desenvolvida mostrou-se útil para conhecer os elementos predominantes e aqueles que depreciam a qualidade visual das paisagens da vizinhança e aquelas internas. A qualidade visual da paisagem total foi considerada boa e atrativa, mesmo com as ações antrópicas do entorno imediato. Recomenda-se cautela na ocupação da divisa oeste do parque.

Palavras-chave


estudo da paisagem, parques urbanos, gerenciamento de áreas verdes.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v5i2.66262

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.