DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DOS FRAGMENTOS DE VEGETAÇÃO ARBÓREA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CAMPINAS: UMA ANÁLISE COM USO DE FERRAMENTAS DE GEOPROCESSAMENTO

Daniel Henrique Candido, Lucí Hidalgo Nunes

Resumo


O estudo avaliou a concentração e a distribuição espacial dos fragmentos de vegetação arbórea nos municípios pertencentes à região metropolitana de Campinas, no interior do estado de São Paulo. A análise foi feita mediante utilização de imagens coletadas pelo satélite brasileiro Cbers 2, e seu posterior tratamento com uso de ferramentas de geoprocessamento, levando em consideração a presença de aglomerados de vegetais arbustivos que pudessem ser visualizados a olho nu na composição feita com as imagens desse satélite. É importante salientar que não foi feita nenhuma distinção entre espécimes nativos e exóticos. A situação de algumas cidades é preocupante no que tange à presença de vegetação, tendo em vista a pequena extensão das matas e praticamente ausência da mata ciliar, além de que em alguns casos os fragmentos estão distantes dos centros urbanos. Observou-se tendência espacial na rmc, pois as matas dos municípios situados no setor leste da região, que apresenta morfologia mais irregular, são mais preservadas.

Palavras-chave


Matas, Vegetação, Ambiente, Região Metropolitana de Campinas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v5i1.66242

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.