ANÁLISE QUALI-QUANTITATIVA DA ARBORIZAÇÃO URBANA DE DOIS BAIRROS DO MUNICIPIO DO RIO DE JANEIRO POR MEIO DO GEOPROCESSAMENTO

Aloísio Werneck Pereira, José Carlos Arthur Junior, Bruno Araujo Furtado de Mendonça, Celso Junius Ferreira Santos, Rômulo Guimarães Giácomo, Emanuel José Gomes de Araújo, Eduardo Vinícius da Silva

Resumo


Inventários da arborização urbana com auxílio de ferramentas de geoprocessamento são práticas fundamentais e atuais para o patrimônio arbóreo das cidades. Objetivou-se caracterizar e avaliar parâmetros quali-quantitativos do censo das árvores das ruas do bairro Grajaú e compará-los com as árvores do bairro Centro, ambos no município do Rio de Janeiro, com auxílio de ferramentas de geoprocessamento. A arborização das ruas do bairro Grajaú comparada ao Centro apresentou maior número de árvores (2.719 x 2.693, respectivamente) e diversidade de espécies (82 x 50, respectivamente). As dez espécies de maior frequência representaram 73 e 83% do total de espécies, e seis delas foram similares nos dois bairros. No bairro Grajaú, as árvores mais frequentes apresentam ampla distribuição, exceto as espécies Tamarindus indica e Licania tomentosa; assim como Licania tomentosa é predominante no Centro. No bairro Grajaú 150 árvores apresentaram lesões causadas pelo cancro, e no Centro 53 árvores. Árvores com cavidade igual e maior a 30% da circunferência foram representadas em 70,3% pela espécie Tamarindus indica no Grajaú e 80,9% por Licania tomentosa no Centro. Com a espacialização dos indivíduos foi possível observar como são distribuídas e onde estão localizados os problemas, auxiliando no planejamento e manejo da arborização urbana.


Palavras-chave


Árvores urbanas; Sistema de Informações Geográficas; Inventário; Gestão urbana

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v14i2.65812

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.