ARBORIZAÇÃO URBANA EM JEQUITAÍ - MG: ATRIBUTOS FUNCIONAIS E DIVERSIDADE

Gislene Rodrigues dos Santos, Rúbia Santos Fonseca, Cristieli Barros Gonçalves

Resumo


Objetivou-se caracterizar a arborização urbana quanto à diversidade, ecologia e interação com ambiente, por meio de inventário em todas praças (sete) e avenidas (quatro) da cidade de Jequitaí, Minas Gerais. Foi realizado o levantamento de todos os indivíduos com circunferência a 1,30 m do solo, maior ou igual a 15 cm, incluindo troncos e estipes. O grupo de polinizadores foi definido por meio das síndromes de polinização e para a determinação do agente dispersor foram utilizadas as síndromes de dispersão. Foram avaliados 111 indivíduos, distribuídos em 16 famílias, 23 gêneros e 24 espécies. Em relação à origem das espécies, 37% são nativas (8% nativas de outras regiões do Brasil, 29% são nativas da região) e 63% são exóticas. A melitofilia se configura a síndrome de polinização mais frequente entre as espécies analisadas, enquanto a zoocoria foi o modo de dispersão mais ocorrente. A arborização da cidade de Jequitaí é composta em sua maioria por espécies exóticas. A arborização apresenta baixa diversidade, sendo Licania tomentosa a mais frequente.  As espécies nativas da região como Cordia glabrata, Hymenaea courbaril e Genipa americana, se destacam por interagirem com a fauna e apresentarem bom estado de conservação.


Palavras-chave


Biodiversidade; Ecologia urbana; Ecossistema urbano; Floresta urbana

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v14i1.65444

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.