DIAGNÓSTICO DA ARBORIZAÇÃO URBANA DA CIDADE DE VITÓRIA DO XINGU, PARÁ, BRASIL

Luciene Albuquerque da Silva, Cleber Soares de Sousa, Maurício Möller Parry, Raírys Cravo Herrera, Francisco Plácido Magalhães Oliveira, Sterphane Matos Parry

Resumo


Vitória do Xingu não dispõe de um plano de arborização urbana, tão pouco de um diagnóstico sistematizado desse cenário. Sendo assim, este trabalho teve como objetivo realizar um diagnóstico da arborização urbana de Vitória do Xingu, no qual buscou-se qualificar e quantificar as espécies, identificando problemas relacionados aos plantios e suas necessidades. Foi realizado um censo das espécies vegetais presentes nas vias públicas da cidade, utilizando planilhas estruturadas. Foram identificadas 257 plantas de 38 espécies, de 35 gêneros e distribuídas em 19 famílias botânicas. A espécie mais frequente foi Syzygium malaccense (L.) Merr & L. M. Perry (jambeiro), com 54 indivíduos, representando 21,0% das árvores da cidade. A família Fabaceae foi a mais representativa, com 15,8% das espécies e Myrtaceae a mais numerosa, com 27,6% dos indivíduos. As frutíferas representaram 48,25% das plantas identificadas. Muitas árvores apresentam conflitos com a fiação elétrica (89%), poucas apresentaram conflitos com a iluminação pública (11%) e nenhum caso de conflito com a sinalização. A grande diversidade de espécies resulta da participação efetiva da população na arborização da cidade. Recomenda-se que algumas espécies sejam substituídas gradativamente por não possuírem as características desejadas para arborização.


Palavras-chave


Levantamento florístico; Conflito de arborização; Vias públicas

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v13i1.63622

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.