A VEGETAÇÃO DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE: FLORÍSTICA E FITOSSOCIOLOGIA

Silvio Henrique Menezes Gomes, Robério Anastácio Ferreira, Anabel Aparecida de Mello, Liziane Rodrigues dos Santos, Natali Aparecida Santana, Francineide Bezerra Gonçalves, Leila Rafaela da Costa Santos

Resumo


O Campus da Universidade Federal de Sergipe está em processo de expansão física de sua estrutura interna desde 2005 e, como consequência, mais de 1100 árvores jovens e adultas foram suprimidas. Esta circunstância conduziu à necessidade de se realizar este trabalho, com o objetivo de analisar a composição florística e a estrutura fitossociológica do Campus. Realizou-se um censo das árvores (CAP ? 15 cm) em toda extensão da universidade, no período de dezembro de 2014 a janeiro de 2015. Foram coletadas as variáveis CAP, a altura e área de copa. Os parâmetros avaliados foram a Densidade Absoluta (DA); Densidade Relativa (DR); Dominância Absoluta (DoA); Dominância Relativa (DoR) e IVC (Índice de Valor de Cobertura). Foram contabilizados 2.382 indivíduos, distribuídos em 26 famílias botânicas, 76 gêneros e 96 espécies. Com base no número de indivíduos, conforme sua origem, obteve-se um percentual de 51,44% para as nativas e 48,56% para exóticas. A espécie que apresentou maior IVC foi a Clitoria fairchildiana R.A. Howard. A cobertura total de copa de todos os indivíduos foi equivalente a 16,85 ha e 40,86% do total da área.


Palavras-chave


Mata Atlântica; Arborização; Inventário; Paisagismo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v12i4.63599

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.