PROPOSTA DE CALÇADAS ACESSÍVEIS EM CONSONÂNCIA COM A ARBORIZAÇÃO VIÁRIA ESTABELECIDA EM ITANHAÉM – SP

Tamara Ribeiro Botelho de Carvalho Maria, Daniela Biondi, Kendra Zamproni

Resumo


O crescimento urbano não planejado é uma questão recorrente e pode trazer inúmeros problemas de cunho social e ambiental. A utilização de calçadas verdes acessíveis surge como forma de mitigar algumas destas dificuldades, democratizando as calçadas para atender todas as pessoas, inclusive as com mobilidade reduzida e considerando a vegetação como forma de melhoria da qualidade ambiental.  O objetivo deste trabalho foi avaliar a estrutura física e da vegetação existente nas calçadas de Itanhaém - SP, visando a aplicabilidade das calçadas verdes acessíveis. A coleta dos dados foi realizada por amostragem estratificada. Foram mensurados a largura de calçada, posição da árvore na calçada, sua altura total e de bifurcação do tronco. A proposição para as calçadas verdes acessíveis foi baseada na lei Federal 10.098/2000, na ABNT NBR 9050 e na cartilha de calçadas acessíveis no Estado de São Paulo. A largura média de calçadas de Itanhaém foi de 2,87 m. A aplicação da faixa de circulação livre com largura igual ou superior à mínima recomendável é possível em 61% das calçadas. A altura de bifurcação foi menor que 1,8 m em 76,8% da arborização, demonstrando que há necessidade de podas de manutenção e produção de mudas adequadas à arborização viária.


Palavras-chave


Arborização urbana; Acessibilidade em calçadas; Cidades acessíveis; Planejamento urbano.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v12i4.63555

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.