PROBLEMAS E DISTINÇÕES ENTRE MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DA CONDIÇÃO GERAL DE ÁRVORES URBANAS

Rogério Bobrowski

Resumo


Os protocolos de avaliação da condição geral de árvores urbanas servem como roteiros metodológicos para direcionar a avaliação de uma árvore, principalmente quando não se dispõe de instrumentos eletrônicos para a inspeção ou quando se tem um grande volume de árvores para avaliar. Cada protocolo apresenta uma abordagem específica para a avaliação, mais abrangente ou mais específico, porém sempre apresentando um grau de subjetividade. Nesta pesquisa, três protocolos foram utilizados na avaliação da condição de quarenta árvores (dez de cada espécie florestal) existentes em duas áreas verdes da cidade de Irati-PR. Por meio do Teste de Friedman constatou-se diferença significativa entre os protocolos utilizados (c²Fried=69,194; GL=2; p=9,434-16) para a valoração atribuída a cada árvore. Entretanto, para melhor análise visual da condição geral de árvores urbanas, os protocolos devem contemplar a introdução de informações sobre defeitos estruturais, condição do ancoramento da árvore ao solo, existência de pragas ou doenças e o grau de risco oferecido. Estas adaptações se tornam necessárias e estratégicas para direcionar a atenção do avaliador para as principais regiões de avaliação e para a redução da subjetividade.  


Palavras-chave


Avaliação visual, Vigor, Risco, Arboricultura

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v11i2.63437

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.