A INFLUÊNCIA DO MÉTODO DE SEMEADURA NO CRESCIMENTO DE MUDAS DE FLAMBOYANT (Delonix regia (Bojer ex Hook) Raf.) EM VIVEIRO FLORESTAL

Iris Cristina Bertolini, Eleandro José Brun

Resumo


Este trabalho avaliou o crescimento de mudas de Flamboyant sob diferentes técnicas de plantio: semeadura direta sem repicagem (Tratamento 1 - Testemunha) e semeadura com repicagem (Tratamento 2), cada um composto por cinco repetições de 54 mudas. O experimento foi conduzido no viveiro florestal da Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Dois Vizinhos, no período de julho de 2010 a março de 2011. As sementes foram plantadas em tubetes de 280 cm³ com substrato comercial e fertilizante. Após a emergência e formação de dois pares de folhas definitivas, foi realizado o processo de repicagem e transplante das mudas. As medições foram realizadas quanto à altura da parte aérea (Aa) e diâmetro do colo (Dc) aos 15, 30, 105 e 225 dias. Aos 240 dias foi avaliada a mortalidade de mudas, massa seca (parte aérea, raiz, total) e calculadas suas relações raiz parte aérea e parte aérea raiz, assim como IQD e porcentagem de raízes. Os resultados denotam que, para as variáveis avaliadas, a semeadura direta apresenta leve superioridade em sobrevivência, diâmetro do colo e altura de mudas, mas não nas variáveis relativas ao acúmulo de massa seca e nem em IQD. A repicagem pode ser um método usado em viveiros de produção de mudas da espécie.


Palavras-chave


Mudas florestais; Espécie ornamental; Arborização urbana; Repicagem

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v9i4.63169

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.