Jardins Verticais: potencialidades para o ambiente urbano

Minéia Johann Scherer, Beatriz Maria Fedrizzi

Resumo


O acelerado crescimento das cidades, com intensificação do uso e ocupação do solo, está levando a uma diminuição das áreas disponíveis para a vegetação, sendo visíveis as perdas de qualidade ambiental. A presença de espaços vegetados favorece um microclima agradável e minimiza os efeitos da ilha de calor urbana. Na escala da edificação, a vegetação pode contribuir para o conforto térmico, reduzindo a necessidade de sistemas de climatização artificial. Os benefícios estéticos e psicológicos também representam uma importante justificativa para o aumento do verde, uma vez que o bem estar do homem está intimamente ligado ao seu contato com a natureza. Desta forma, este artigo tem como objetivo discutir as potencialidades do uso dos jardins verticais como um novo suporte a ser explorado para ampliar as áreas urbanas vegetadas. A metodologia do trabalho está baseada em revisão bibliográfica sobre o tema, na qual são apresentadas diferentes tipologias de jardins verticais, bem como, exemplos realizados utilizando uma das técnicas, as chamadas cortinas verdes, a qual se destaca por também assumir a função de elemento de proteção solar para a edificação. Os resultados demonstram o grande potencial dos jardins verticais para a economia de energia, além dos benefícios sociais, psicológicos e de qualificação dos ambientes de trabalho.

Palavras-chave


Jardim vertical; Cortinas verdes; Proteção solar; Conforto térmico; Sustentabilidade

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/relainep.v2i2.37883

https://licensebuttons.net/l/by-nd/3.0/88x31.png

Este periódico está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional

Rev. Lat.-Am. Inov. Eng. Prod. [ReLAInEP], Curitiba (PR), Brasil

ISSN: 2317-4846 (Versão impressa)

ISSN-e: 2317-6792 (Versão online)