AS CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO DE CONTEÚDO DE GEOGRAFIA

Michael Wellington Sene, Marquiana de Freitas Vilas Boas Gomes

Resumo


A formação inicial do professor oportuniza a aprendizagem de um conjunto de conhecimentos necessários à sua prática profissional, embora os saberes docentes integrem também as experiências pré-profissionais e aquelas obtidas na socialização do trabalho na escola. Neste sentido, há uma complexidade implícita ao processo formativo do professor, sendo fundamentais as experiências nas quais o mesmo possa estar em constante processo de ação-reflexão-ação. Os saberes docentes devem integrar os conhecimentos de conteúdo, didático do conteúdo, pedagógico e de contexto (GARCÍA, 1999) como pré-requisito ao processo de ensino e aprendizagem. Para isso, é importante que a formação inicial de professores integre organicamente universidade e escola, com vistas a promover ambiente propício a aquisição desses conhecimentos. Nesse contexto, e considerando a importância do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) nos cursos de licenciatura, esse artigo visa identificar suas contribuições na construção dos Conhecimentos dos Conteúdos Geográficos - CCG pelos bolsistas nos cursos de formação inicial de professores de Geografia das universidades públicas do Estado do Paraná. A pesquisa combinou entrevistas, questionários, análise documental e observação participante, por meio da abordagem qualitativa, conforme Lüdke e André (1986). Os resultados apontam que o PIBID contribui significativamente para o aprofundamento dos CCG tais como: conceitos geográficos (lugar, paisagem, território, região, escala e rede), linguagens (mapas, textos, gráficos, mídias) e conteúdos básicos (cartografia, dinâmica natureza, dinâmica da sociedade, educação e preservação ambiental).


Palavras-chave


Formação do Professor; Geografia escolar; Conceitos

Texto completo:

ARTIGO AUTORIZAÇÃO

Referências


ALVES, G. A. Cidade, Cotidiano e TV. In: CARLOS, A. F.(org.) A geografia na sala de aula. São Paulo: Contexto, 1999.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Tradução: Luis Antero Reto Augusto Pinheiro, São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Decreto n. 7.219 de 24 de junho de 2010. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, poder legislativo, Brasília, 25 de junho de 2010.p. 04.

CARLOS, Ana Fani A. O Lugar no/ do Mundo. São Paulo, FFLCH, 2007.

CAVALCANTI, L. S. Ensinar Geografia para a autonomia do pensamento: o desafio de superar dualismos pelo pensamento teórico crítico. Revista da ANPEGE, v. 7, n. 1, 2011, p. 193-203.

_________. A Geografia deve ser nutrida com novas abordagens. [Editorial]. Nova Escola, Ed. 238 dez., 2015.

FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS Um estudo avaliativo do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID). São Paulo: FCC/SEP, 2014.

GARCIA, C. M. Formação de professores: para uma mudança educativa. Trad. Isabel Narciso. Porto: Porto Editora. 1999.

GIL. A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GOMES, P. C. C. O conceito de região e sua discussão In: CASTRO, I. E. de (org). et al... Geografia Conceitos e Temas. 15a Edição. Rio de Janeiro. Bertrand Brasil, 2012.

GODOY, A. S. Pesquisa Qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas. Vol. 35, n.2 p. 20-29, 1995

KHAOULE, A. M. K., SOUZA, V. C. Desafios atuais em relação à formação do professor de Geografia. In: SILVA, E. I.; PIRES, L. M. (Org.). Desafios da Didática de Geografia. Goiânia: Ed. da Puc Goiás, 2013. p. 87-105.

LOPES, C. S. Aprendizagem Da Docência Em Geografia: Reflexões Sobre A Construção Da Profissionalidade. Ensino em Re-Vista (Online), v. 19, p. 307-320, 2012.

LOPES; C. S.; PONTUSCHKA, N. N. Mobilização e construção de saberes na prática pedagógica do professor de Geografia. Geosaberes, Fortaleza v. 2, n.3, p. 88-104, 2011.

LUDKE, M. e ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MOREIRA, R. O círculo e a espiral: para a crítica da Geografia que se ensina-1. Niterói-RJ: Edições AGB Niterói, 2004.

PIRES, L. M., ALVES, A. O. . Revisitando os conceitos geográficos e sua abordagem no ensino. In: SILVA, E. I., PIRES, L. M. (Orgs.). Desafios da didática de Geografia. 1ed. Goiânia: PUC - GO, 2013, v. 1, p. 235-254.

SANTOS, C.; PEDROTTI, A.; MATOS, A. L.; SANTANA, A. P. S. A cartografia e o ensino da geografia. Revista Geográfica de América Central, Número Especial EGAL, 2011

SOUZA, M. J. L. O território: sobre espaço e poder, autonomia e desenvolvimento. In: CASTRO, I. E. de; GOMES, P. C. da C.;

CORRÊA, R. L. (org.). Geografia: conceitos e temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012. p. 77 – 116.

STEINKE, V. A ; CARVALHO, A. C. A. As dimensões da formação de profissionais em Geografia no Brasil: reflexões introdutórias. In: SILVA, E. I. da; PIRES, L. M. (Org.). Desafios da didática de Geografia. Goiânia: Ed. da PUC, 2013, p. 69-85.

PARANÁ, Secretaria de Estado da Educação do Paraná. Diretrizes curriculares da educação básica – Geografia. Curitiba, SEED, 2008.

PASSINI, E. Y. Alfabetização Cartográfica e a aprendizagem de Geografia. SãoPaulo: Cortez, 2012.

ROMANELLI, F. A. Agenda 21 Escolar: Implantação. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2016

SUERTEGARAY, D. M. A. Espaço Geográfico Uno e Múltiplo. Revista Geocrítica Scripta Nova Revista Eletrónica de Geografía y Ciencias Sociales, Barcelona, v.93, 2001.

TARDIF, M., RAYMOND, D. Saberes, tempo e aprendizagem no magistério. Educação e Sociedade, Campinas, v.21, nº 73, p.209-244. 2000.

TUAN, Y. Espaço e lugar: a perspectiva da experiência. São Paulo: Difel, 1983.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v44i0.49326

Direitos autorais 2018 Raega - O Espaço Geográfico em Análise

_____________________________________________

ISSN (IMPRESSO) 1516-4136 até 2008

ISSN (ELETRÔNICO) 2177-2738 a partir de 2009