Redes sociais, jornalismo e eleições locais em 2016: o Facebook como espaço de visibilidade da política e dos políticos nos jornais O Estado do Maranhão (MA) e A Tarde (BA)

Regilson Furtado Borges

Resumo


Este artigo apresenta os resultados parciais de um projeto de pesquisa desenvolvido no Grupo de Pesquisa em Comunicação, Política e Sociedade (COPS), da UFMA. O objetivo aqui é analisar como as eleições (e, mais especificamente, os candidatos a prefeito) aparecem e ganham visibilidade na cobertura jornalística feita pelos jornais O Estado do Maranhão (MA) e A Tarde (BA), nas suas páginas do Facebook. Trata-se de um estudo comparado da cobertura jornalística de jornais de diferentes localidades do Nordeste — sendo um deles um dos maiores jornais do Nordeste e, o outro, um dos menores — para compreender qual espaço é destinado por eles ao tema político-eleitoral, além de identificar qual o tratamento que os candidatos recebem em cada veículo, a partir do conteúdo que circula e ganha destaque na rede social. A técnica de pesquisa aqui empregada é a de análise de conteúdo, a partir de uma abordagem quantitativa. O período da coleta dos dados compreende toda a disputa eleitoral de 2016, com início em 16 de agosto e término em 2 de outubro, de quando foram extraídas 1.871 postagens do Facebook dos dois veículos, por meio do aplicativo Netvizz. Analisa-se o tema das postagens, a abordagem específica sobre as eleições, a presença dos candidatos e o modo como aparecem. Conclui-se que os veículos possuem agendas distintas: enquanto o jornal A Tarde prioriza temas considerados soft, o jornal O Estado do Maranhão evidencia as hard news. Além disso, os dois periódicos deram atenção ao tema político-eleitoral quando a disputa eleitoral estava próxima do fim.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/recp.v8i2.56300