A doxa política das finanças: o discurso dos banqueiros diante da nova matriz econômica do governo Dilma Rousseff (2011-14)

Reginaldo Teixeira Perez, Gabriel da Silva Vaccari

Resumo


Este artigo busca identificar e examinar as razões que levaram os banqueiros a assumir um posicionamento crítico em relação à política econômica do primeiro mandato presidencial de Dilma Rousseff, entre 2011 e 2014. Tendo-se como hipótese forte o fator cálculo empresarial, e assumindo como orientação metodológica a conciliação da reconstrução da conjuntura política do período com análise de linguagem dos atores em foco, concluiu-se que a Nova Matriz Econômica, ao flexibilizar fundamentos macroeconômicos ortodoxos que os governos Lula haviam respeitado, confrontou interesses do setor financeiro. Este, em face de motivações pragmáticas, denegou o governo e passou a criticá-lo, demandando o retorno da condução econômica em moldes mais rígidos.

 


Palavras-chave


Palavras-chave: Banqueiros; Governo Dilma; Política Econômica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/recp.v8i3.53206