Tensões e conflito de visões: a liberdade a partir dos clássicos ao conservadorismo de Scruton

Danilo Cortez Gomes

Resumo


A complexidade que envolve a condição humana ultrapassa padrões e ideologias políticas que buscam enquadrar a sociedade numa uniformidade não condizente com a pluralidade típica das sociedades modernas, o que faz surgir continuamente tensões entre visões divergentes. Por isso, este ensaio teórico busca discutir as tensões no campo político-social no tocante à liberdade a partir de autores clássicos como Maquiavel, Hobbes, Locke, Rousseau e Mill, bem como a abordagem conservadora de Roger Scruton. Nessa discussão, a liberdade se baseia num sentimento de responsabilidade que deve caracterizar o indivíduo racional, o qual enxerga a sociedade como um território comum em que suas escolhas afetam a si mesmo e os outros, mesmo ciente de que os conflitos e tensões, frutos das diferentes visões ali expostas, não serão extintos.


Palavras-chave


política; conflito de visões; liberdade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/recp.v9i1.51717