AS PESSOAS CURTEM OS POLÍTICOS NO FACEBOOK? NÃO MESMO! A COMUNICAÇÃO DIRETA EM LARGA ESCALA ENTRE CANDIDATOS E ELEITORES COMO UM FENÔMENO OUTLIER

Rasmus Kleis Nielsen, Cristian Vaccari

Resumo


A popularidade online de alguns poucos candidatos tem levado muitos analistas a sugerir que as mídias sociais têm dado aos políticos novas e poderosas formas de se comunicar diretamente com os eleitores. Examinando se isso está acontecendo em uma escala significativa com base na análise de 224 candidatos dos maiores partidos concorrendo em distritos competitivos para a Câmara dos Deputados dos Estados Unidos durante as eleições parlamentares de 2010, descobrimos que a maioria dos políticos online é, de fato, largamente ignorada pelo eleitorado. A atenção dada pelos cidadãos aos candidatos online se aproxima das distribuições de lei de potência, com alguns candidatos obtendo muitos seguidores e a maioria definhando na obscuridade. Como a comunicação direta online em larga escala entre os políticos e as pessoas comuns nestas plataformas é um fenômeno raro e outlier - mesmo no caso de campanhas eleitorais altamente competitivas e com candidatos com amplo acesso a recursos financeiros – sugerimos, neste texto, que as implicações políticas mais relevantes das mídias sociais assumem a forma de (a) novos fóruns para comunicação indireta sobre política e (b) mudanças institucionais nos processos de comunicação política.

Palavras-chave


mídias sociais; Facebook; candidatos; eleições

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/recp.v5i2.41061