A Razão Política: Estado Moderno e Racionalidade em Hendrik Spruyt, Charles Tilly e Carles Boix

Eric Monné Fraga de Oliveira

Resumo


O trabalho tem como objetivo discutir a questão da racionalidade na ação política dentro da teoria política contemporânea sobre o Estado Moderno, nas quais tal questão aparece como um pressuposto subjacente à análise e não como seu próprio foco. Foram escolhidos os livros The Sovereign State and its Competitors, de Hendrik Spruyt, Democracy, de Charles Tilly e Democracy and Redistribution, de Carles Boix, tanto por sua relevância à discussão sobre o Estado Moderno quanto por oferecerem modelos analíticos radicalmente diferentes entre si. Segundo a hipótese central trabalhada neste artigo, a noção de racionalidade, ainda quando não discutida explicitamente, permanece sendo, dentro da teoria política contemporânea, um pressuposto à própria capacidade de ação social dentro da esfera política.

Palavras-chave


Teoria do Estado; Racionalidade; Ação Política; Processos de Democratização

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/recp.v4i1-2.33490